Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

Menino não entra na fita

Este filme falado merece ser visto como um ‘Amigos de Alex’ no feminino

Leonardo Ralha 31 de Janeiro de 2016 às 00:30
João Canijo e Vicente Alves do Ó são só dois dos cineastas que demonstram que não é preciso ter uma determinada combinação de cromossomas para realizar bons filmes com protagonistas femininas. Mas se não é preciso ser mulher para fazer filmes de mulheres, também nada impede que apareçam realizadoras a fazê-los. É o caso de Patrícia Sequeira, com a carreira até agora dedicada à televisão, que se estreou na longa-metragem com uma particularidade.

Sucede que ‘Jogo de Damas’, assumido pela realizadora como uma parceria com o seu elenco, não põe um único homem à frente da câmara. Apenas cinco amigas (Rita Blanco, Maria João Luís, Ana Padrão, Ana Nave e Fátima Belo) a lidar com a morte de outra amiga e muitos anos de segredos por revelar.

Confinado no cenário (uma casa num monte alentejano) e no tempo (um dia e uma noite), este filme falado merece ser visto - e também pelos homens, embora menino não entre - como um ‘Amigos de Alex’ no feminino. Uma Alex que se chamava Marta, bem entendido.

-----

Duas contra a sociedade
O amor entre uma mãe de família e uma mulher mais jovem na América dos anos 50 é contado a partir de quinta-feira em ‘Carol’.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)