Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Luís Campos Ferreira

Do meu filho*

Esquecemo-nos por vezes daqueles que nunca dormem em horas de aperto.

Luís Campos Ferreira 22 de Junho de 2017 às 00:30
"O herói nem sempre usa capa" - frase proclamada pelo cidadão comum. Um honrado agradecimento àqueles que viajam até ao inferno sem aviso, e que se arriscam a morrer por outros que, por vezes, não os reconhecem como guerreiros da paz. Enquanto decoramos as nossas redes sociais com futilidades e lamentações, por vezes esquecemo-nos daqueles que nunca dormem em horas de aperto e fazem sofrer os seus familiares, que ficam em casa.

Somos capazes de publicar sobre eleições no outro lado do Mundo, ou sobre sermos campeões da Europa.
Nos momentos de comemorações estamos cá todos no Instagram a felicitar a Selecção ou a denegrir o Presidente dos EUA. Mas num dos momentos mais tristes de Portugal, poucos dão o passo em frente.

A lágrima também é um sinal de tristeza, e o português chora por tudo, mas às vezes esquece-se do herói da Pátria. Estes não são os ‘Heróis do Mar’ mas sim heróis que não olham a condições para salvar vidas. Tem de interessar mais tanto quem eleva Portugal no estrangeiro como quem o faz cá dentro.

O jardim à beira-mar plantado irá voltar a florescer e, com ele, ficará a eterna saudade dos que foram e não voltaram.

Mais uma vez, junto-me às minorias e faço um post de agradecimento àqueles que realmente são heróis! Obrigado #BombeirosPortugueses.

*Chama-se Luís, tem 18 anos e publicou este post no Facebook.

P.S. Desde sábado, mais de dois mil e quatrocentos bombeiros combatem as chamas no centro de Portugal. Um bombeiro morreu e quatro ficaram feridos com gravidade.

Já arderam aproximadamente 30 000 hectares e 40 aldeias foram evacuadas por precaução. Até ao momento, o trágico balanço do incêndio de Pedrógão Grande é de 64 mortos e 204 feridos, entre eles, sete em estado grave.
Luís Campos Ferreira opinião
Ver comentários