Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Luís Pires da Silva

Olhos nos olhos

É inaceitável impedir o trabalho dos inspetores.

Luís Pires da Silva 19 de Outubro de 2015 às 00:30
Na sexta-feira realizou-se uma assembleia geral dos funcionários da ASAE. Participaram cerca de 50% do total de inspetores da instituição, para discutirem e decidirem os assuntos que mais os preocupam. Poucos sindicatos têm este nível de representatividade.

Na reunião analisaram-se os problemas que afetam a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) e que prejudicam a qualidade dos serviços, lesando o cidadão quando se trata de questões de saúde pública e consumidores e empresas quando são assuntos económicos.

A manutenção dos inspetores-adjuntos como mão de obra barata, a falta de funcionários, a inexistência de meios, e uma organização que impede o trabalho dos seus inspetores é inaceitável. Também o é uma organização em que vê os seus inspetores de carreira preteridos para ocuparem lugares de decisão e em que a sua influência nos destinos da ASAE é residual.

Estas e outras conclusões serão ditas olhos nos olhos ao inspetor-geral Pedro P. Gaspar no próximo dia 3.
Autoridade de Segurança Alimentar e Económica ASAE Pedro P. Gaspar
Ver comentários