Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Manuel Maria Rodrigues

Perecer e parecer

Parece que, uma vez mais, e citando o ditado, “vamos perecer na praia”.

Manuel Maria Rodrigues 27 de Junho de 2017 às 00:30
Poderá parecer desajustado, numa altura de tragédia em Portugal, alguém preocupar-se em explicar o sentido etimológico das palavras. Creio que é pertinente e deontológico.

"Perecer" e "parecer" são duas palavras constantes do dicionário de língua portuguesa, nas quais a simples diferença de uma vogal altera literalmente o significado.

"Perecer" (do latim perescere) significa acabar, finar, expirar, morrer. Poderia aplicar-se à tragédia de Pedrógão Grande, para dar a conhecer que pereceram 64 pessoas.

"Parecer" (do latim parescere, incoativo de parere) tem vários significados: ser semelhante a, ter aparência de alguém ou alguma coisa, ou ainda, noutro sentido, opinião fundamentada sobre alguém ou sobre determinado assunto.

Poderia aplicar-se no caso da tragédia já citada, para traduzir a ideia de que parece começar a desenhar-se uma estratégia que visa convencer-nos que há quem apenas pretenda que "rolem cabeças" – parte mais fácil segundo a Ministra MAI, quando o fundamental é apurar, de forma independente, todo o contorno da ocorrência.

Concordo, mas… parece-me já ter assistido a isto antes, assim como me parece, citando o ditado antigo, que uma vez mais "vamos perecer na praia".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)