Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Mário Pereira

FC Porto falha onde não podia falhar

Dragões voltam a revelar que têm falta de ‘Killer instinct'.

Mário Pereira 18 de Abril de 2017 às 00:30
A jornada deste fim de semana reforçou a ideia de que o FC Porto de Nuno Espírito Santo é uma bela equipa de futebol, com um ‘pequeno grande’ senão: tem falta daquilo que vulgarmente se chama ‘killer instinct’.

O défice já se revelara no jogo caseiro frente ao V. Setúbal, no qual a equipa azul-e-branca, perante a perspetiva de saltar para o primeiro (após o empate do Benfica, de véspera), deu um tiro sem pólvora.

Voltou a acontecer agora, ainda que desta vez a liderança não estivesse em jogo. Só que Braga era um jogo chave para o FC Porto. Um teste de época, quase uma prova de aferição. Era fundamental ganhar para não deixar o Benfica no conforto de poder ir a Alvalade empatar sem que tal signifique cair do primeiro lugar. Pela segunda vez, em menos de um mês, o FC Porto falhou. Caso o título fuja ao dragão, falar de arbitragens desastradas será apenas uma forma de empurrar com a barriga o verdadeiro problema.
Desta forma, o FC Porto entrega-se nas mãos do Sporting.

Olhos virados para o jogo do próximo sábado, onde é agora o Benfica que terá de mostrar o ‘killer instinct’ que tem sido o calcanhar de Aquiles do rival. Se o conseguir, merece ser campeão.
opinião Mário Pereira
Ver comentários