Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Mário Pereira

Nuno Espírito Santo na via dolorosa

O FC Porto está num momento-chave da época.

Mário Pereira 3 de Dezembro de 2016 às 00:30
Está a tornar-se dolorosa a caminhada de Nuno Espírito Santo no FC Porto. O treinador já entrou naquela fase em que o chão que pisa mais parece um trilho rugoso, armadilhado com pedras soltas, onde a queda se insinua a cada passo. Uma vereda que, nas últimas três épocas, fez tombar Paulo Fonseca, depois o espanhol Julen Lopetegui e a seguir José Peseiro. Todos eles com trajetos (leia-se contratos) por cumprir no clube. E  que, por isso, não chegaram ao fim.

Dizer que os dois próximos jogos do FC Porto são decisivos para Espírito Santo será um lugar-comum. O primeiro é já esta noite, frente ao Sporting de Braga, ao qual o emblema portista tenta resgatar a posição na classificação da Liga. E em que pela frente terá, ironia do destino, o último treinador a queimar- -se na chama do Dragão.

O segundo encontro será na próxima quarta-feira e então, frente aos ingleses do Leicester City, o FC Porto joga a continuidade na Champions (Liga Europa já está garantida). Liga doméstica e Liga dos Campeões em ponto de definição, com cinco dias de intervalo. Ambos em casa, o que desde logo pode, no atual estado das coisas, não ser uma grande vantagem.

É ali, naquelas bancadas azuis, que os nervos estão mais à flor da pele. O FC Porto está, pois, num momento-chave da temporada. Se passar com êxito as duas tormentas, Espírito Santo resiste. E até terá direito a renovação de votos do presidente Jorge Nuno Pinto da Costa, que previsivelmente virá a público clamar vitória sobre os que já andavam a fazer funerais.

Coisas do futebol

Caso as coisas tivessem corrido bem na época anterior, José Peseiro estaria esta noite sentado no banco técnico da equipa que agora defronta, o FC Porto. E a tentar ganhar à formação que neste momento o acolhe, o Sp. Braga. O futebol é mesmo uma bola, não é?

Cultura da minhoca

O que o futebol não é, definitivamente, é um terreno onde a cada cavadela se encontra uma minhoca. Jorge Jesus dixit. Um bom lema para quem pensa dedicar-se à pesca. O que não será, por certo, o propósito do técnico leonino.

Mês da abastança

Terceiro e quarto classificados da Liga defrontam-se nesta ronda, tal como quinto e sexto colocados (V. Guimarães e Chaves). E na próxima podem encontrar-se primeiro e segundo da tabela. Dezembro é mês de fartura e boas emoções.
Nuno Espírito Santo FC Porto Paulo Fonseca Julen Lopetegui José Peseiro Braga Leicester City
Ver comentários