Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Miguel Alexandre Ganhão

Comprem, comprem...

Está no ar um certo perfume a liberalismo selvagem.

Miguel Alexandre Ganhão(miguelganhao@cmjornal.pt) 13 de Setembro de 2014 às 00:30

Não é só a guerra pela Espírito Santo Saúde, nem o oportunismo dos fundos-abutre pelos despojos do BES. É este perfume de privatizações que se respira sempre que uma legislatura chega ao fim.

A Empresa Geral de Fomento (EGF) desperta interesses que vão da China ao Brasil, passando pelas arábias, mesmo aquelas que andam mão na mão com o fundamentalismo.

Para a TAP, o ministro da Economia já veio anunciar, orgulhosamente, a existência de três grupos interessados na transportadora aérea; nos transportes públicos – à parte da gaffe do STCP, que contabilizava como ganhos os percursos dos autocarros da recolha para as garagens –, o Metro de Lisboa revelou recentemente as suas contas desde 2010, para dar assim oportunidade aos potenciais interessados de fazerem as continhas todas.

Os escritórios de advogados e os consultores de comunicação andam numa azáfama de trabalho como há muito não se via. E fala-se mesmo em reuniões secretas com o Governo.

É preciso ter cuidado, para que uma frágil esperança de vitória não se transforme numa histórica derrota.

Espírito Santo Saúde China Brasil TAP Lisboa
Ver comentários