Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
9
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Miguel Azevedo

Um maestro sem medo

Habituado a construir novas regras, Rui Massena tem tentado "renovar o Mundo à luz do tempo em que vive", palavras do próprio.

Miguel Azevedo 31 de Janeiro de 2015 às 00:30

Maestro sem medo, nunca receia a crítica dos seus pares quando se lembra de cruzar, por exemplo, os sons de uma orquestra com a irreverência do hip-hop. "O nosso meio musical é muito pequeno e eu trabalho para a minha comunidade. Não vim ao Mundo para agradar aos meus pares. Se o fizer, tanto melhor... Desgraçados daqueles que não têm culpa de nada... Nestes concertos de fusão, mostrei o instrumento orquestra a milhares de pessoas. E fi-las gostar da ideia de orquestra e dos seus sons. Temos de começar por algum lado num País que ainda tem muito para fazer."

Reportagem... Um jornalista da BBC Brasil veio a Portugal fazer algumas reportagens sobre artistas da cena musical de Lisboa e investigar por que há tanto interesse internacional na música produzida na cidade. O canal noticia que muitos são os "novos artistas que ajudaram a renovar e a atrair atenção para géneros como fado, kuduro e até rock ‘n’ roll"… E até rock ‘n’ roll!!! Em Portugal!!! Não posso! Soa a uma daquelas reportagens sobre "vida selvagem".

Para sempre... Morreu Fernando Fonseca, primeiro baterista de Sitiados. O velório aconteceu dia 26 de janeiro na igreja de Carcavelos. Sandra Baptista despediu-se de forma emotiva: "Vivemos boa vida, amigo... Foi muito bom ter partilhado parte dessa vida contigo... Um até já, companheiro..." Fica o conforto de saber que, algures, Fernando Fonseca se reencontrará com João Aguardela.

Ver comentários