Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Octávio Lopes

TV e futebol à moda antiga

Erros graves de Carlos Xistra só apareceram depois do clássico.

Octávio Lopes 8 de Abril de 2017 às 00:30
O Benfica-FC Porto (1-1) foi um bom jogo de futebol: emoção a rodos, jogadas vistosas, grandes defesas, artistas empenhados e uma moldura humana a condizer. No meio de tudo, um dos protagonistas do clássico da Luz, o árbitro. À primeira vista, que grande exibição de Carlos Xistra!

Foi isso que transmitiram as imagens do canal do Benfica. Com o decorrer dos dias, parece não ter sido bem assim. O Benfica foi o primeiro a disparar: antes do golo de Maxi houve um puxão da camisola de Maxi a Samaris que não foi assinalado. E provou isso com imagens do jogo. S

eguiu-se o FC Porto com uma bateria de lances em que, com o recurso à câmara lenta, mostrou que ficaram inúmeras faltas por marcar contra o Benfica, bem como alguns cartões. E os portistas acusaram mesmo a BTV de não ter passado com detalhe alguns dos erros de Carlos Xistra.

Como uma eventual agressão de Samaris a Alex Telles, logo nos minutos iniciais, que só foi captada por uma câmara das várias que estavam no recinto. Manipulação, acusaram. É o que dá ter um clube a ser responsável pela transmissão dos próprios jogos.

Foi, enfim, como no passado a preto e branco: ninguém descortinava os erros do árbitro, que eram lá ao longe. Resumindo: um clássico com futebol e TV à moda antiga. E, afinal, Carlos Xistra não foi o herói. Os seus erros é que não foram ampliados como na maioria dos outros jogos.
Benfica FC Porto Carlos Xistra desporto futebol TV BTV
Ver comentários