Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Octávio Ribeiro

O Estado negligente

O Estado está a ficar amoral e cega com o brilho das luzes.

Octávio Ribeiro(octavioribeiro@cmjornal.pt) 12 de Novembro de 2017 às 00:31
Primeiro veio o resgate financeiro e os anos de um Passos para além da troika. Depois, à míngua de dinheiro para manter o Estado operacional juntou-se a falta de autoridade e ética de trabalho, que a Esquerda sempre cultiva.

Chegámos assim à tempestade perfeita, que mata cidadãos nas estradas em chamas, nas aldeias agonizantes, na legionella em hospital público. Que assiste impotente ao crescimento de formas privadas de segurança e justiça violenta de administração imediata. Polícias agredidos. Bandidos perigosos com sucessão de penas suspensas. Jantares num cemitério, mesmo que de túmulos de ilustres portugueses.

O Estado está a ficar amoral e cega com o brilho das luzes.

Depois da insanidade dos cortes de Passos Coelho, com a geringonça de todas as esquerdas, juntou-se a penúria com a ociosidade, a falta de rigor no cumprimento das missões profissionais.

Nestes tempos tristes, o Estado mostra-se incapaz de cumprir as suas mais estritas funções de soberania e serviço aos cidadãos.

Nos últimos anos, estamos a passar da mais nobre forma de Estado Providência, para um Estado imprevidente e dissoluto, incapaz de servir as suas cliques sindicais, corporativas, e o pobre cidadão espoliado de segurança, saúde, educação de qualidade mínima.























Nós, os contribuintes, alimentamos com língua de palmo esta máquina pública, que nos devolve o esforço com o veneno da incúria, abusos de poder e omissões de auxílio.

O Estado está negligente e os piores exemplos vêm de cima. De um Governo que mantém em funções ministros que padecem de nanismo político, como os da Defesa, Educação, Economia ou Cultura.
Octávio Ribeiro opinião
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)