Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Paulo Fonte

Vem devagar emigrante

Com o conhecimento de quem foi obrigado a procurar nova vida no estrangeiro, Graciano Saga cativava o seu público com ‘Vem devagar emigrante’.

Paulo Fonte(paulofonte@cmjornal.pt) 19 de Março de 2015 às 00:30

O cantor sabia daquilo que falava. Já quanto ao programa de medidas agora anunciado pelo Governo para convencer portugueses a regressarem ao País, há muitas dúvidas sobre a sabedoria dos autores.

Depois de o primeiro-ministro ter aberto as portas a quem não estivesse bem, em ano de eleições é anunciado um par de benefícios para chamar emigrantes, um programa designado VEM – sigla simples para a pomposa Valorização do Empreendedorismo Emigrante.

São entre 40 a 50 projetos para colmatar a perda de mais de 300 mil pessoas que deixaram Portugal nos últimos anos. Aproveitando a onda da demagogia, António Costa – para quem o seu partido é alheio a tudo isto – mostrou certificado de vida e disse que a proposta "não dignifica a consciência que os agentes políticos têm de possuir". Os amigos chineses terão aplaudido a campanha.

Perante tudo isto, um conselho: vem mesmo devagar, emigrante, os tempos não são para aventuras.

Ver comentários