Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Paulo Morais

Porquê Barroso?

A única atividade que se lhe conhece é a de avençado de Ricardo Salgado.

Paulo Morais 19 de Julho de 2016 às 00:30
Depois de dez anos na Comissão Europeia a defender os interesses da banca privada, Durão Barroso vai presidir a um banco, o Goldman Sachs. Barroso, em nome da Europa, impôs austeridade e miséria a países como Portugal e Grécia. Garantiu que os estados pagavam os seus empréstimos aos bancos privados, nem que para tal tivesse de fustigar os povos e arriscar verbas do próprio orçamento comunitário. Barroso ficará na história da União Europeia como um serventuário dos bancos junto da Comissão Europeia.

É claro que Barroso, como qualquer político em fim de mandato, tem direito a voltar à sua profissão. O problema é que Barroso nunca teve, fora da política, uma profissão digna desse nome. A única atividade que se lhe conhece é a de avençado de Ricardo Salgado, no Grupo Espírito Santo (GES). A tença que recebia destinar-se-ia, primordialmente, a financiar o doutoramento… do próprio Barroso. Tarefa que este, ainda por cima, nem sequer concluiu.

Exige-se, pois, que o todo-poderoso banco Goldman Sachs esclareça por que motivo contrata alguém cuja única experiência no setor financeiro foi adquirida num banco falido e fraudulento.
Paulo Morais opinião
Ver comentários