Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
4
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Pedro Santana Lopes

A Catalunha e a Europa

O apelo deste lado da fronteira deve ser de serenidade e diálogo.

Pedro Santana Lopes 3 de Novembro de 2017 às 00:30
Os tempos que a Espanha atravessa devem fazer refletir todos os Estados-Membros da União Europeia. Um país com fronteiras definidas, apesar da abertura dentro da Europa, encontra dentro dos seus limites uma enorme clivagem.

A questão da independência da Catalunha é um tema de Espanha. Nós, portugueses, país vizinho e de fortes ligações ibéricas, não devemos emitir juízos de valor, todavia, devemos ser solidários com o Governo de Madrid.

Saúdo a postura institucional quer do Presidente da República, quer do Governo e do primeiro–ministro pela forma como demonstraram solidariedade com o Governo de Madrid e como têm reagido em torno deste processo.

Ao estarmos de fora e sermos confrontados com toda a situação que esta região de Espanha tem vivido, não podemos deixar de ficar estupefactos com a fuga de Carles Puigdemont. Esta saída para a Bélgica tem variáveis a que não podemos ficar indiferentes.
 
Até que ponto esta saída do Presidente do Governo da Catalunha não é uma desilusão para os que acreditam e defendem a independência desta região? Falar em internacionalizar a situação da Catalunha, como Carles Puigdemont fez, é a demonstração de uma fraqueza de argumentos evidente.

Como podemos encarar a ideia de um Presidente que abandona o barco e deixa metade do seu Executivo a braços com este problema? É uma situação muito complexa.

A vida interna de um país deve ser tratada com respeito pela sua constituição, mas sobretudo, com a vontade popular expressa e legítima. Um referendo, como o que foi feito, com uma natureza tão sensível, carece de articulação com o Governo de Madrid e de uma dose de sensatez.

A Espanha é um país com uma história rica e com forte pendor regionalista. Sabemos todos o orgulho de cada comunidade autónoma, nas suas gentes e território, mas esse orgulho deve ser encarado com o devido enquadramento nacional.

A Espanha é um país fundamental da União Europeia e a Catalunha e Barcelona uma região e cidade que merecem paz e prosperidade, não uma guerra civil e uma fuga de empresas e capitais como tem sofrido.

O apelo, deste lado da fronteira, deve ser de serenidade e diálogo. Que os ‘nuestros hermanos’ tenham a capacidade de se entenderem com respeito e civilidade.

É fundamental para Espanha, mas também para o projeto e sonho comum de uma Europa integradora e aberta.

Depois do ‘Brexit’, esta situação que a Catalunha vive pode ser o despoletar de múltiplos problemas para o futuro da nossa União Europeia.

É, também, um desafio à autoridade e solidariedade das instituições de Bruxelas. Que os líderes europeus saibam estar à altura.

Imperdível
Cultura
Música e o poder do poster    
Já começou mais uma edição do Misty Fest, que este ano passará por Lisboa, Porto, Évora, Braga, Leiria e Espinho. É um evento de referência, claramente para um público mais jovem, que procura nos sons da World Music e do Jazz a criatividade que não encontra noutros festivais.

Além disso, proporciona concertos e experiências em várias cidades, com artistas internacionais que privilegiam a ‘cantautoria’.

Entretanto, até 14 de novembro, em Marvila, Lisboa, decorre a Poster 2017, uma mostra pública de homenagem aos posters.

Fotografia, desenho, ilustração e mixed media, aliados ao poder da palavra, materializam-se no formato de poster, um dos meios mais importantes de comunicação de sempre e o primeiro a aliar a arte e a publicidade. Como diz a organização, é uma autêntica galeria pública a céu aberto.

Canto curto
Liga dos Campeões
Diferenças
As equipas portuguesas tiveram sortes diferentes na Liga dos Campeões. O Porto estará em melhor posição, seguido do Sporting e, ainda com zero pontos, o Benfica. Não serve de desculpa, mas é bom relembrar que o Sporting tinha, e tem, o grupo mais difícil.

E enfrentar a Juventus da forma como o fez, quer em Itália, quer em Alvalade, é motivo de esperança. Como também foi excelente o resultado do Porto com o Leipzig , e apesar de tudo uma boa exibição do Benfica com o Manchester.

Aguardemos pelas próximas jornadas. 

Do motociclismo aos Estados Unidos  
LUA CHEIA
Miguel Oliveira e o prémio na Malásia
Uma grande vitória portuguesa no motociclismo no Grande Prémio da Malásia que fez vibrar o país. É a segunda vitória consecutiva do piloto português no mundial de Moto2.

QUARTO CRESCENTE
Ricardo Robles e o acordo com Medina
O Bloco de Esquerda chega ao poder na Câmara Municipal de Lisboa, assumindo um pelouro na vereação, depois da desilusão com José Sá Fernandes.

QUARTO MINGUANTE
Azeredo Lopes e o caso de Tancos
O caso do roubo de armamento militar dos paióis de Tancos continua a ser uma história muito mal contada, mesmo após o reaparecimento do armamento.

LUA NOVA
Donald Trump e suspeitas
Continuam as suspeitas em torno das pessoas mais próximas do Presidente americano. Agora foi a vez de Paul Manafort, ex-diretor de campanha, estar sob fogo cerrado.
Pedro Santana Lopes opinião
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)