Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Pedro Santana Lopes

A natureza das coisas

Digo com franqueza: o Porto parece hoje uma cidade de alto nível europeu.

Pedro Santana Lopes 10 de Março de 2017 às 00:30
Na quarta à noite tive ocasião de dar uma volta a pé pela cidade do Porto com o Presidente da Câmara Rui Moreira, meu amigo há uns bons anos. Jantámos num belíssimo espaço, julgo que de uma família portuguesa regressada do estrangeiro: ‘A Reitoria’. E depois, saímos a pé pelas ruas da Baixa e da Rua das Flores e caminhámos até à Câmara.

Era uma quarta à noite, meio da semana, e estava muita gente na rua. Era Dia Internacional da Mulher e, certamente por isso, havia muitos elementos do sexo feminino, com boa disposição e que nos iam cumprimentando com muita simpatia, para além do pedido de fotografias que está cada vez mais na moda, por influência do Presidente da República. Esta quinta de manhã foi a inauguração das novas instalações dos Jogos Santa Casa no Porto, ali perto da Foz. Seguiu-se um almoço num barco que estava ancorado num Cais de Gaia.

Que diferente está o Porto, que bem cuidado, que limpo. Também naquela cidade houve uma grande onda de reabilitação de edifícios e do espaço público. Digo com franqueza: o Porto saltou para um patamar muito acima e parece uma cidade de alto nível europeu. A beleza natural do Porto está lá há muitos anos, mas há uns anos o Porto não era assim. É natural o orgulho que vi em Rui Moreira no modo como me ia mostrando as transfigurações na cidade. E tem que se reconhecer que a obra feita em Gaia também ajudou muito o Porto.

Não sei se é politicamente correto dizer isto, mas, em primeiro lugar, gosto de ser livre e, em segundo lugar, nunca tive da política a visão de que a pertença a um partido implique calar a verdade ou ser injusto, ou deitar abaixo a obra dos outros. A política em que acredito permite dizer bem, mesmo de quem não seja da nossa cor.

Temos de provar é que podemos fazer melhor do que os outros. Rui Moreira, ainda por cima, não é de outra cor. Sempre o conheci e todos o conheceram politicamente próximo das mesmas áreas em que me incluo. Essa é outra questão: a política e os seus princípios não nos podem conduzir ao absurdo. É que, por vezes, os princípios emaranham-se uns nos outros e é difícil destrinçar qual deve prevalecer. A história das últimas autárquicas condiciona as atuais. Mas é sempre muito mau na vida forçar o contrário do que é natural e a política faz parte da vida.

É muito mau quando se ouvem eleitores ou militantes de um partido não perceberem mesmo uma decisão e terem a certeza de que ela não é natural e mais, sentirem ou dizerem que o natural era fazerem o contrário. Quando as coisas são assim, é bom parar para pensar. Eleições autárquicas são um tema difícil hoje em dia para muitos. Eu sei que também o é para mim, porque recusei um muito sensibilizador convite que me foi dirigido. Mas respondi no devido tempo. Por isso, sinto-me com pleno direito a falar do assunto. Mas voltemos ao princípio: que bonito está o Porto.

Uma canção que entusiasmou    
A música vencedora da edição deste ano do Festival RTP da Canção, ‘Amar pelos dois’, interpretada por Salvador Sobral e da autoria da sua irmã, a já conceituada compositora e cantora Luísa Sobral, gerou uma grande onda de entusiasmo que facilmente se compreende, tendo em conta a beleza e simplicidade da música, num estilo muito Gershwin.

Para quem não teve oportunidade de ver a atuação de Salvador Sobral, vale a pena recuperar esse momento no YouTube e apreciar aquela canção, que já está colocada no oitavo lugar das preferências para vencer o Eurovisão no ranking que reúne as apostas internacionais. ‘Amar pelos dois’ é também uma bonita forma de a RTP celebrar os seus 60 anos, uma televisão que está de parabéns e que tanto tem dado aos portugueses.

Intriga contra Jesus     
Depois da estrondosa vitória de Bruno Carvalho, houve quem quisesse meter ‘veneno’ com uma declaração de Jesus, segundo a qual ainda faltaria ao Sporting uma estrutura ao nível do FC Porto e do Benfica. Disseram logo os intriguistas que era uma crítica ao presidente do Sporting. Eu ouvi essa declaração e Jesus teve o cuidado de ressalvar que o Sporting ainda não tinha essa estrutura apesar do trabalho extraordinário que o atual presidente do Sporting tem levado a cabo.
Ver comentários