Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Pedro Santana Lopes

Decidir ou não decidir

O Presidente da República sabe que os chefes de estado têm de agir discretamente.

Pedro Santana Lopes 22 de Dezembro de 2017 às 00:30
Disse o Presidente da República sobre a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a participação no Montepio: não há decisão, não há problema.

Marcelo Rebelo de Sousa quis ser simpático e aliviar tensões. Ele sabe muito bem que, por vezes, há problemas mesmo antes de a decisão estar tomada. É o caso. Há uma grande inquietação com o anúncio da possível entrada da Santa Casa, com montantes muito significativos, no capital da Caixa Económica do Montepio Geral. Ora, há instituições cujo goodwill é, em boa medida, o seu bom nome, a sua respeitabilidade e a confiança que merecem. Quando fazem parte do património de uma Nação, como sua componente relevante, o significado e o peso das decisões que se tomam ou que se anunciam é ainda maior.

Por vezes, há quem tente diversificar ou inovar as áreas de atividade de uma entidade. Naturalmente, quem dirige fá-lo com a melhor intenção e, por isso mesmo, essas mudanças devem ser sempre bem analisadas, avaliadas, ponderadas. As instituições com maior riqueza histórica e com nobres fins estatutários, exigem, por natureza, que as opções que se tomam sejam fiéis à respetiva matriz. Podem ser estudadas hipóteses de trabalho, linhas de atuação, soluções que representem a procura de novas fontes de engrandecimento, todavia, o que tem de se garantir é que haja fundamento consistente e exista consenso alargado sobre esse novo caminho que se quer trilhar.

Há instituições que podem arriscar ruturas na sua identidade de objetivos, de imagem ou até com a compreensão da comunidade em que se inserem. Outras, não.

Mandar estudar uma hipótese que seja colocada por quem de direito, não é errado. É a atitude certa para a resposta ser devidamente fundamentada. Tomar uma decisão antes de um estudo ou avaliação que se encomende, é, obviamente, errado. Julgo que ninguém coloca essa possibilidade e o último a querer que isso aconteça é quem tenha a responsabilidade cimeira na instituição. Por vezes há declarações menos precisas ou menos felizes? Quem não as teve já, principalmente quando se está em início de funções? Importante é evitar danos, avaliar o que se passa à nossa volta e preservar a instituição que, acima de tudo, tem de ser protegida.

O Presidente da República sabe bem que os Chefes de Estado têm de fazer tudo discretamente para que se consiga evitar problemas. Talvez seja isso que Marcelo quis dizer: se não houver decisão, não há problema.

Imperdível
Lisboa e Porto
Video mapping e duas óperas    
O atelier O Cubo apresenta três vezes ao dia o seu espetáculo de Natal em Video Mapping. Ao contrário dos anos anteriores, em que o espetáculo decorreu no Terreiro do Paço, este ano o edifício escolhido foi a Fonte Luminosa, na Alameda, em Lisboa. A projeção 4D em sintonia com as imagens tem este ano a banda sonora de Cuca Roseta. A não perder até amanhã, dia 23.

'Nas Vésperas do Natal' é o destaque apresentado pela Orquestra Sinfónica do Porto na Casa da Música. Duas suites de duas óperas de Rimski-Korsakoff, 'A Véspera de Natal' e 'A Donzela de Neve' e duas suites de dois bailados de Tchaikovski, 'A Bela Adormecida' e 'O Lago dos Cisnes'. Os mestres russos sob direção musical de Martin André. Dois contos tradicionais que contam histórias de amor no contexto do Inverno russo.

Canto curto
Sporting e FCP na frente
Ainda não vi ninguém assinalar que chegamos ao Natal com o Sporting e o Futebol Clube do Porto à frente no Campeonato. Para descontrair do ambiente por vezes pesado em que se vive atualmente, é bom lembrar essa brincadeira que costumam fazer com os Sportinguistas de que quando chega o Natal normalmente o Sporting fica para trás. Desta vez não é assim. Mas nesta matéria todos vão passar o Natal com esperança porque as diferenças pontuais são muito pequenas.

Lua Cheia
Vítor Caldeira
O Presidente do Tribunal de Contas apresentou esta semana aos jornalistas um parecer acerca da Conta Geral do Estado referente ao ano de 2016. Resultaram 75 recomendações à Assembleia e ao Governo. 

Quarto Crescente
Francisco Lacerda
O presidente dos CTT apresentou esta semana o Plano de Transformação Operacional, que prevê a continuação dos postos de exploração por terceiros continuando a garantir a qualidade do serviço.

Quarto Minguante
Rui Vitória
Esta época não está fácil para o treinador do Benfica, depois da eliminação da Liga dos Campeões e da Taça de Portugal e o empate na Taça da Liga, mas é injusto esquecer o seu trabalho anterior.

Lua Nova
Fernando Medina
O Tribunal Constitucional declarou esta semana a inconstitucionalidade da Taxa de Proteção Civil de Lisboa. A autarquia terá agora de devolver os 58 milhões de euros já arrecadados.
Ver comentários