Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Pedro Santana Lopes

O valor da segurança

Qualquer deriva com sabor à Grécia seria algo de lesa-pátria. O que lá se passa é um filme de terror.

Pedro Santana Lopes 17 de Julho de 2015 às 00:30
É difícil de imaginar o que representa para os cidadãos de um país, para as famílias, para as empresas, só se poder levantar 60 euros por dia num multibanco, mas, principalmente, ter os bancos fechados durante semanas. Os bancos fechados representam, naturalmente, ter uma boa parte da economia parada. Parece muito longe de nós, mas é num país da União Europeia, nosso parceiro, berço da democracia.

Hoje em dia os acontecimentos são tantos e a tal cadência que as pessoas têm naturalmente dificuldade em refletir profundamente sobre cada um deles. Mas refletindo serenamente sobre o que está a acontecer na Grécia e sobre todo o processo que conduziu a esta situação, facilmente se conclui que isso pode acontecer a qualquer país com uma economia que não seja próspera e desenvolvida, que tenha debilidades e, principalmente, que tenha níveis de endividamento muito elevados, com taxas de crescimento, de investimento e de produtividade em níveis de estagnação. Isso aconteceu com os três outros países que foram objeto de intervenção externa ou estiveram muito próximo dela, como é o caso da Espanha (que teve intervenção no sistema financeiro).

Havendo eleições em Portugal, deveria ser consensual a obrigação de todos reconhecerem que não se pode repetir nunca por cá aquilo que aconteceu na Grécia. Ouve-se nos debates atribuir responsabilidades ora aos partidos mais à direita, ora aos partidos mais à esquerda. Uma certeza há: não há margem para maior peso da dívida para além das consequências e dos encargos da sua própria existência. Qualquer deriva com sabor à Grécia seria obviamente algo de lesa-pátria. O que se passa por lá é cada vez mais um filme de terror. E quero acreditar que, para além dos extremistas que existem em todos os países, em maior ou menor percentagem, nenhuma força política com possibilidades de ser Governo deixará de se demarcar em absoluto do inferno grego.

O valor da segurança das pessoas, das famílias, da comunidade nacional toda ela, é muito importante. E quem quiser ganhar as eleições tem de convencer os portugueses de que garante essa segurança. Vamos ver quem consegue fazê-lo mais e melhor.


Faro acolhe de novo motards
A Concentração de Motos em Faro é um dos eventos mais importantes que se realizam no Algarve e todos os anos atrai milhares de motards, nacionais e internacionais, com repercussões positivas na economia local. Já vai na 34ª edição, que ontem começou e se prolonga até domingo, e resulta da combinação da paixão pelas motos com o esforço que organizadores e autoridades locais têm envidado para melhorar aquele evento, apostando, cada vez mais, na segurança e na prevenção dos participantes. Esta é uma das maiores concentrações da Europa.

A lesão de William Carvalho
Tem de se lamentar o que aconteceu com William Carvalho. Não falando já da possível transferência, por verbas significativas, esta baixa é uma grande contrariedade para o Sporting. Apanha a pré-eliminatória da Champions, momento muito importante para toda a época, além da Supertaça, de importância mais simbólica, e várias jornadas do campeonato. Uma situação destas pode prejudicar toda uma época. Vamos ver como Jorge Jesus ultrapassa isto.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)