Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
3
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Raul Vaz

O banquete das casas

O valor negativo da euribor é uma anormalidade histórica.

Raul Vaz 16 de Junho de 2017 às 00:30
Segundo um trabalho publicado hoje no Jornal de Negócios, os bancos emprestaram, desde o início do ano, 20 milhões de euros por dia para a compra de casa, o arranque de ano mais forte desde 2010.

As razões são várias: os bancos estabilizaram o balanço e estão de novo interessados em aplicar recursos, em créditos com ‘spreads’ mais elevados do que no passado; as Euribor continuam negativas, dando uma prestação mensal ‘simpática’; as rendas voltaram a disparar, atirando mais pessoas para a opção da compra de habitação; e o alojamento local, à boleia do turismo, está a retirar muitas casas do circuito de arrendamento normal de longa duração. Mas é importante não nos deixarmos iludir com toda esta facilidade. Há riscos, e muitos, como a história recente nos devia ter ensinado.

O valor negativo das Euribor é uma anormalidade histórica que não se vai manter para sempre. O imobiliário está a subir e poderá subir por mais alguns anos, mas ficou já provado que o valor das casas não puxa sempre para cima.

Estes são os ingredientes de um cozinhado que, por agora, apetece; mas que pode acabar numa valente indigestão para clientes, bancos e economia.
Euribor Jornal de Negócios construção e obras públicas imobiliário
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)