Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Raul Vaz

Quem sabe sabe

Isto é fazer política, dar com uma mão e receber com a outra.

Raul Vaz 14 de Abril de 2017 às 00:30
Ao mesmo tempo que anuncia um défice leonino de 1% para 2018 – número que faz certamente encrespar a esquerda –, o primeiro-ministro vai ao encontro da mesma mancha na ideia de reforma sem cortes para quem iniciou descontos aos 14 anos e já chegou aos 60 de idade.

Isto é fazer política, dar com uma mão e receber com a outra. Começando sempre numa expectativa baixa para, habilmente, se criar a ideia de um esforço na melhoria do nível de vida. E assim se alarga o perímetro de inclusão dos precários, assim se exclui do IMI os terrenos de produção agrícola.

E é nesta valsa que um governo absolutamente comprometido com a ortodoxia orçamental europeia tem o apoio de uma esquerda radicalmente contra essa política. Quem sabe sabe...
IMI política primeiro-ministro economia negócios e finanças
Ver comentários