Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
6
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Ricardo Valadas

Defesa e segurança

Considerar as Forças Armadas um mal necessário é errado e perigoso.

Ricardo Valadas 9 de Julho de 2017 às 00:30
É importante que a Nação não se esqueça do relevante, honroso e destacado papel das Forças Armadas (FA) portuguesas ao longo da História de Portugal, na defesa dos interesses e da soberania nacional.

Foi um episódio infeliz - o furto em Tancos - no entanto, uma responsabilidade que não fica apenas na segurança das instalações e da respetiva cadeia de comando, mas também de todos nós, portugueses.

Se queremos umas FA e Polícias cabalmente capazes para defender os portugueses no limite da sua própria vida, temos de defender e apoiar a necessidade de haver um maior investimento nestas organizações que são um dos pilares da Nação. Se vivemos em liberdade e democracia, também o devemos às FA.

Considerá-las um "mal necessário e uma função residual" é errado e perigoso, como se viu recentemente. A Defesa, Segurança e Justiça da nossa Nação começa nos seus cidadãos, e por tal, respeitar e incentivar o investimento naqueles que diretamente as executam, não só é nobre como cumpre uma necessidade superior.

Nesse sentido, a Direção Nacional da ASFIC/PJ, deseja expressar publicamente o seu apoio e solidariedade aos militares das FA portuguesa, que muito respeitamos e honramos.
Ricardo Valadas opinião
Ver comentários