Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
2
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Rui Hortelão

Moedas a funcionar

A relação política--negócios é esta – foi assim no BCP, na PT/TVI, no BPN, na Tecnoforma, no BES.

Rui Hortelão 20 de Outubro de 2014 às 00:30

José Manuel Espírito Santo deu o mote: "O Moedas, o Moedas! Eu punha já o Moedas a funcionar." Ricardo Salgado, então presidente do BES, ligou a Carlos Moedas, à época secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro. "Carlos, está bom? Peço desculpa por estar a chateá-lo a esta hora. Tivemos agora uma notícia muito desagradável. Tem a ver com a procuradoria no Luxemburgo, que abriu inquérito a três empresas." Estava-se em pleno período do aumento de capital e o objetivo era convencer o governante a interceder junto da CGD e do ministro da Justiça luxemburguês.

Não é a primeira vez que o mundo real salta para as páginas dos jornais. Normalmente só chega por via de escutas telefónicas, como as de Armando Vara e José Sócrates no caso Face Oculta. A relação entre a política e os negócios é esta – foi assim no BCP, na PT/TVI, no BPN, na Tecnoforma, no BES. Os protagonistas são tão diferentes quanto idênticas as práticas. Resta aos portugueses conformarem-se com isso, até porque muitos fazem gala de fazer o mesmo à sua escala. Ou condenarem tudo isto fazendo diferente. 

Ver comentários