Barra Cofina

Correio da Manhã

Colunistas
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Rui Hortelão

Portas preso, já!

Ainda dizem que os militantes do PCP pararam no tempo.

Rui Hortelão 25 de Janeiro de 2016 às 00:30
A Comissão Nacional de Eleições (CNE) voltou ontem a dar uma má imagem de si própria. Já se conhece a discussão anacrónica sobre a cobertura jornalística das últimas ações de campanha antes do período de reflexão, baseada numa lei criada quando não havia jornais online, televisões privadas e canais de notícias; bem como as posições alarmistas por causa do facto inédito de Benfica, FC Porto e Sporting jogarem em dia de eleições.

Mas agora fez mais e não resistiu a gerar polémica em torno de umas palavras irrelevantes de Paulo Portas. E que é evidente ninguém acredita possam vir a condenar o ex-vice-primeiro-ministro a pena de prisão – como prevê a lei para o crime alegadamente cometido.

É óbvio que Portas desejou o voto em Marcelo Rebelo de Sousa, o único que antes do fecho das urnas estava em condições de vencer à primeira volta. Mas a forma como o fez não violou a lei, na melhor das hipóteses demonstra, mais uma vez, que a lei está desadequada.

Já mais moderna foi a forma como João Almeida, o porta-voz da CNE, falou em direto numa televisão, respondendo em simultâneo ao microfone da estação e ao telemóvel que tinha encostado à orelha. Ainda dizem que os militantes do PCP pararam no tempo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)