Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
7
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Leonardo Ralha

Excesso de frontalidade

A lista de nomeados para o Óscar de Melhor Actor excluiu uma das interpretações mais elogiadas de 2011. Trata-se de Michael Fassbender, para quem fazer sexo é compulsivo em ‘Shame’.

Leonardo Ralha 29 de Janeiro de 2012 às 01:00

Em Los Angeles, muitos garantem que Fassbender falhou a nomeação por ter dado demasiado corpo ao personagem. Fez aquilo a que se chama ‘full frontal’, mostrando o pénis numa cena de ‘Shame’.

Natalie Portman, Kate Winslet e Halle Berry venceram o Óscar de Melhor Actriz com papéis em que a nudez e o sexo eram mais do que explícitos. Só que Hollywood ainda mantém alguns tabus.

Ao vencê-lo nos Globos de Ouro, George Clooney brincou com Fassbender, dizendo-lhe que "pode jogar golfe com as mãos atrás das costas". Já a estatueta dourada fica fora do alcance do actor, que pecou por excesso de frontalidade. Literalmente.

Sem nudez, sem cor e sem som é ‘O Artista’, que estreia quinta-feira e pode vir a ser o segundo filme mudo com o Óscar mais apetecido.

Ver comentários