Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

João Vaz

Pontapé na bola

A curiosidade de saber o que diriam os chineses da vitória da selecção nacional de futebol frente à sua equipa deixou-me em jejum. Do que se passou em Coimbra não vi nada nos sites chineses. Descobri em contrapartida que o futebol chinês está cheio de escândalos: dois vice-presidentes da federação – Nan Yong e Yan Yimin – mais o director da comissão de árbitros – Zhang Jianqiang – estão presos por subornos e combinação de resultados.

João Vaz 7 de Março de 2010 às 00:30

Há ainda vários clubes em vias de despromoção nos campeonatos da Liga que se iniciam a 20 deste mês. Os casos são pungentes. O Qingdao Hailifeng, por exemplo, foi apanhado de forma pueril numa batota de apostas. Os adeptos não engoliram a explicação de os atrasos ao guarda-redes, que só por grande atraso não deram autogolos, serem estratégia de contenção e o Ministério Público apurou o óbvio: a vinte minutos do final o Qingdao ganhava por 3-0, mas para o presidente, patrão de um negócio de apostas, interessava um desfecho tangencial; o capitão de equipa, Du Bin, que jogava contra os regulamentos com um telemóvel no bolso, recebeu mensagem para ajudar os adversários a marcar.

Não são os interesses de alguns que satisfazem as necessidades de um país. Nem na China de 1300 milhões de habitantes nem no Portugal de dez milhões.

Ver comentários