Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
1
Piloto morre em corrida de motos no Estoril

Carlos Garcia

Sindicatos vs. capatazes

É nos momentos de crise profunda como a que vivemos nos últimos anos que o papel dos sindicatos se eleva. Neste ambiente destrutivo de guerra financeira internacional, e sob pretexto da batalha contra o défice, os governos têm vindo, unilateralmente, a alterar os ‘contratos colectivos’ de trabalho dos funcionários públicos, a desfazer o ‘contrato social’ e o Estado Social, constitucionalmente protegidos.

Carlos Garcia 9 de Dezembro de 2012 às 01:00

O que eram considerados direitos dos trabalhadores são hoje ‘despesas’ e ‘privilégios’. Os únicos ‘direitos’ respeitáveis são os ‘privilégios’ obscenos contratualizados com dirigentes, administradores, gestores, consultores e assessores. Os sindicatos são, neste lodo social em que vivemos, um dos espaços sobreviventes da cidadania. Não podemos contar com quem dirige as instituições, já que, na sua maioria, funcionam como meros ‘capatazes’ de quem os nomeou. Já não seria a primeira vez que um destes ‘capatazes’, depois de passar todo o tempo a boicotar as reivindicações sindicais, viesse agora associar-se, também ele, como ‘vencedor’, a qualquer reivindicação que venha a ser, finalmente, aceite e implementada.

Ver comentários