Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
5

Emergência social

É fundamental apoiar as vítimas dos negócios suspensos.
Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 20 de Março de 2020 às 00:31
O estado de emergência obriga ao encerramento de milhares de pequenos negócios, desde restaurantes a lojas de comércio de produtos não essenciais. São muitas pessoas afetadas por esta hibernação forçada da economia, desde os empresários aos empregados.

Estão previstos apoios para vítimas de lay-off e quem tinha contratos por conta de outrem e perde o emprego também pode contar com a rede do subsídio de desemprego, mas neste universo atingido pela crise, grande parte das pessoas em situação precária, arrisca ficar fora dos mecanismos tradicionais de apoio.

Há verdadeiros dramas sociais que vão emergir nesta hibernação, de pessoas que perderam o emprego e o negócio e não têm qualquer guarda-chuva que as proteja. E há realidades novas de imigrantes que recentemente vieram trabalhar para o turismo e restauração e que agora perdem o sustento.

É preciso estar atento a estas situações, tal como é fundamental dar esperança aos empreendedores que ficam com o negócio suspenso ou a conta-gotas. São fundamentais apoios sociais e às empresas. O País não pode parar e tem de haver vida e PIB depois da crise do vírus.
desemprego trabalho economia negócios e finanças
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)