Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
8

O preço incerto

Debate político foi interessante e começou muito forte com o inédito pedido de maioria absoluta feito por António Costa.
Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 19 de Janeiro de 2022 às 00:32
Fernando Mendes, com o seu programa o ‘Preço Certo’, teve mais audiência do que a discussão entre os nove líderes partidários na RTP1. Mas o debate político foi interessante e começou muito forte com o inédito pedido de maioria absoluta, com todas as letras, feito por António Costa.

Apesar da quantidade de intervenientes, cada representante teve oportunidade de dizer o que entendia ser mais relevante da sua mensagem.

Entre tanta diversidade de propostas, há a salientar o facto de todos quererem menos carga fiscal, apesar de alguns prometerem outras medidas que irão fazer aumentar os impostos.

Num Estado tão pesado e com uma dívida tão grande, é impossível baixar impostos de forma consistente. E se baixarem no IRS, de certeza que sobem outros. O País precisa de uma carga fiscal mais leve para dinamizar a economia e para as famílias viverem mais desafogadas, mas o peso da despesa não o permite.

Por isso, talvez os espectadores televisivos prefiram o ‘Preço Certo’ ao ‘Preço Incerto’ das promessas eleitorais.
Ver comentários