Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião

O pesadelo da dívida

Pressão inflacionista é a principal razão para subida dos juros.
Armando Esteves Pereira(armandoestevespereira@cmjornal.pt) 7 de Abril de 2022 às 00:31
Há um ano Portugal pagava uma taxa anual de 0,3% numa emissão a 10 anos. Ontem, o instituto que gere a dívida pública foi ao mercado e no mesmo prazo os credores exigiram 1,69%. O custo aumentou mais de 5 vezes.

A ameaça inflacionista acelerada pela guerra na Europa é a principal causa para este agravamento. Apesar de brutal, a subida não deverá ficar por aqui e as taxas de emissões futuras dependerão em muito da forma como vai evoluir a inflação na Zona Euro. Para já, as notícias não são animadoras. A dependência da Europa face ao gás e ao petróleo da Rússia aumentam a pressão nos preços. Na prática está a acontecer um efeito perverso, a UE sanciona a Rússia, mas precisa do gás russo e também não corta no petróleo do império de Putin. Como os preços destas fontes de energia dispararam, a economia Rússia está até a aumentar as receitas, apesar das sanções. A falta de visão dos líderes europeus, a começar pela senhora Merkel, que aumentaram a dependência energética face a Moscovo, agravam a situação. A subida de juros que agora começa é a maior ameaça à solidez das contas públicas. E um pesadelo para os contribuintes e para a economia por causa do peso paquidérmico da dívida pública.
Rússia Portugal Europa macroeconomia
Ver comentários
}