Barra Cofina

Correio da Manhã

Opinião
2

Sozinhos na Páscoa

É a primeira páscoa em que famílias não podem celebrar em conjunto.
Editorial CM 3 de Abril de 2020 às 00:33
Distante vai o tempo em que um primeiro-ministro se regozijava por haver cerca de um milhão de turistas portugueses no Algarve. E não era só a região mais a sul a ter na semana pascal um dos picos de negócio do ano. As procissões do Minho atraiam multidões e de Trás-os-Montes, às Beiras, ao Alentejo não faltavam viajantes que se deliciavam com o desabrochar da primavera.

Por causa do vírus, nem a tradicionalmente desejada invasão espanhola de turistas acontecerá. Mas não é só a economia e o lazer que a pandemia altera. Esta será a primeira Páscoa do cristianismo em que as comunidades e as famílias não vão poder celebrar em conjunto.

O Estado de emergência renovado limita mais a mobilidade dos cidadãos e obriga a quebrar tradições ancestrais. Por estas razões culturais, a próxima semana será particularmente exigente e dolorosa para quem tem de ficar confinado sozinho em sua casa. Está provado que o isolamento social é a prevenção mais eficaz, mas custa ficar durante toda a primavera limitado de movimentos.

Este confinamento é muito pior do que o óleo de fígado de bacalhau, que fazia bem, mas sabia muito mal.

Armando Esteves Pereira
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)