Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Fronteiras continuam abertas. Voos entre Portugal e Reino Unido interrompidos com a exceção dos humanitários

Apenas podem haver voos de origem humanitária ou cidadãos britânicos que queiram regressar ao Reino Unido.
Correio da Manhã 21 de Janeiro de 2021 às 21:27
Avião
Avião FOTO: Getty Images
O primeiro-ministro anunciou hoje que, a partir de sábado, haverá uma interrupção total de voos entre Portugal e Reino Unido, com exceção daqueles que forem de natureza humanitária para repatriar cidadãos portugueses e britânicos.

António Costa anunciou esta medida após ter participado por videoconferência numa cimeira informal de líderes da União Europeia destinada a coordenar entre os 27 Estados-membros as medidas de combate à covid-19.

"O Governo decidiu interromper totalmente os voos para o Reino Unido e do Reino Unido para Portugal a partir das 00:00 do próximo sábado, de forma a diminuir os riscos de contágio com base na nova variante" do coronavírus, declarou o líder do executivo português.

António Costa disse que, a partir de sábado, "serão unicamente realizados os voos com natureza humanitária para assegurar o repatriamento de portugueses que desejem regressar a Portugal, ou de cidadãos britânicos que desejem regressar ao Reino Unido".

De acordo com o primeiro-ministro, durante esta reunião informal de líderes da União Europeia, houve em termos globais "uma manifestação de grande preocupação relativamente ao desenvolvimento da pandemia, designadamente no que respeita ao crescimento impulsionado pela nova variante britânica em especial nos países que têm relações mais próximas com o Reino Unido, caso de Portugal".

Em matéria de fronteiras, António Costa considerou que a decisão "mais importante" tomada na cimeira informal se relacionou precisamente com o fim dos voos para o Reino Unido, ou do Reino Unido para Portugal.

Na cimeira informal de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, o primeiro-ministro salientou que foi decidido "manter as fronteiras abertas" entre os diferentes Estados-membros.

"Relativamente a países terceiros, a decisão foi de manter as medidas que existem de controlo da pandemia", acrescentou.

Reino Unido António Costa política
Ver comentários