Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

André Ventura promete lutar por Portugal "até à última gota de sangue"

"Eu ainda aqui estou e vou continuar", disse o líder do Chega dirigindo-se aos adversários.
Lusa 20 de Setembro de 2020 às 20:58
André Ventura
André Ventura FOTO: Nuno Veiga / Lusa
O presidente do Chega, André Ventura, prometeu este domingo aos delegados da II Convenção Nacional "lutar até à última gota de sangue por Portugal, no encerramento da atribulada reunião magna dos nacionais-populistas.

Na sua quarta intervenção do fim de semana, Ventura, o deputado único e pré-candidato presidencial, dirigiu-se a adversários como Rui Rio (PSD), António Costa (PS), Catarina Martins (BE) ou Jerónimo de Sousa (PCP), afirmando: "eu ainda aqui estou e vou continuar".

"Este homem que aqui está vai lutar por vocês até à última gota de sangue para que Portugal seja de novo um grande e enorme país", acentuou um inflamado Ventura na parte final do discurso, empolgando os fervorosos e ruidosos apoiantes.

O líder partidário garantiu que o Chega não é "um partido do sistema" e nunca será, justificando assim o facto de não ter tido o apoio esperado na votação para a sua lista da direção nacional, tendo mesmo sido obrigado a submetê-la a votos por três vezes até atingir os dois terços requeridos pelos estatutos.

"Aqueles que pensavam que seria um partido como os outros em que jogadas de bastidores decidiam o poder interno, desenganem-se. Este partido é dos militantes. Nunca cederei a jogos de bastidores", prometeu.

O segundo e último dia de trabalhos, em Évora, durou desde as 08:00 da manhã, com a primeira das três votações, até às 20:20, hora da intervenção de encerramento de Ventura.

"Posso enganar-me ou posso estar certo, mas amo este país mais do que qualquer político em Portugal", declarou.

O presidente do partido nacional populista referiu-se ainda a comentadores televisivos ou pessoas de outras forças políticas que, durante a tarde, "foram dizendo que podia ser o ultimo dia de Ventura à frente do Chega"

"Esqueceram-se de que não somos um partido que retira à confiança a quem trabalha por ele e todos os dias entrega a vida por ele", disse.

Ventura, na única vez em que se virou para fora, citou os nomes de Rio, Costa, Catarina Martins e Jerónimo, sublinhando: "eu ainda aqui estou e vou continuar".

André Ventura Portugal Chega política partidos e movimentos
Ver comentários