Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

André Ventura saca 500 mil votos nas eleições e dá goleada no Alentejo aos comunistas

Candidato da extrema-direita perde campeonato do segundo lugar, mas dá xeque e põe “projeto” nas mãos dos militantes do Chega.
Sérgio A. Vitorino 25 de Janeiro de 2021 às 08:31
André Ventura reagiu de forma eufórica aos resultados. Mas cumpriu e pôs o lugar à consideração dos militantes
André Ventura reagiu de forma eufórica aos resultados. Mas cumpriu e pôs o lugar à consideração dos militantes FOTO: João Miguel Rodrigues
Por três vezes, na campanha, André Ventura prometeu demitir-se da presidência do Chega caso, este domingo, ficasse atrás de Ana Gomes. Ficou.

O rosto da extrema-direita perdeu o campeonato nacional dos segundos, apesar de o vencer em quase todos os distritos (goleada no Alentejo aos comunistas).

Mas conseguiu 496 mil votos - número com que o Bloco de Esquerda elegeu 19 deputados em 2019. Neste xadrez, Ventura deixa de ser peão e faz um xeque futuro à direita e ao centro e à esquerda.

É com o trunfo do resultado “histórico” (passou dos 67 826 votos nas Legislativas de 2019 para os 496 583) que Ventura pergunta ao Chega: ‘Quo vadis?’ (aonde vais?). O deputado único da extrema-direita - que afirmou que Deus lhe confiou uma missão, e a quem agradeceu este domingo- entregou o seu futuro aos militantes. Resta conhecer as dores de crescimento do Chega.

André Ventura clamou: “PSD, ouve bem, não haverá governo em Portugal sem o Chega.” Falou em “avalanche”, “um estalo” e que a direita se “reconfigurou” e “furou o bloqueio com uma força antissistema, que não acaba hoje”. n

Cronologia do dia
12h42
Vota acompanhado da mulher, Dina, e de três seguranças na Escola Básica e Jardim Infantil do Parque das Nações, Lisboa, a mais jovem freguesia do País.

18h33
Chega de carro, com a mulher, à sede de campanha. “Rezei muito. Vamos ter uma noite longa pela frente. Estou feliz.”

23h29
André Ventura reage aos resultados, falando depois de Ana Gomes e antes de Marcelo. Fez uma declaração e não permitiu questões aos jornalistas.
Ver comentários