Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

CDU com o pior resultado de sempre nas eleições legislativas

Pode apoiar PS, mas sem acordo formal. A “cena do papel” não se repete, garante Jerónimo.
Salomé Pinto e Francisca Genésio 7 de Outubro de 2019 às 08:43
Jerónimo de Sousa recusou acordos escritos com o PS
Jerónimo no antigo Hotel Vitória
Jerónimo de Sousa recusou acordos escritos com o PS
Jerónimo no antigo Hotel Vitória
Jerónimo de Sousa recusou acordos escritos com o PS
Jerónimo no antigo Hotel Vitória
Foi de semblante fechado que os militantes comunistas no Centro de Trabalho Vitória reagiram às primeiras projeções. Adivinhava-se o pior.

E aconteceu: menos cinco deputados e uma quebra de 115 mil votos. Ainda antes das projeções houve quem atribuísse as culpas às televisões. "Há milhões de portugueses com as mentes atrofiadas. Carregam num botão e veem televisão",disse o dirigente comunista Armindo Miranda.

Na hora de pôr os pontos nos is Jerónimo de Sousa assumiu a derrota, manifestou a vontade dos comunistas, à semelhança do que aconteceu em 2015, em apoiar um governo do PS, mas garantiu que não haverá nova geringonça.

"Não haverá repetição da cena do papel", afirmou. "Estamos em condições e disponíveis para tudo o que seja bom", disse o líder comunista, sublinhando que "será em função das opções do PS e dos seus orçamentos que a CDU determinará o seu posicionamento".

Nada obsta a que António Costa seja indigitado primeiro-ministro, mas o PCP vai votar caso a caso, no Parlamento. Jerónimo de Sousa descartou "compromissos formais", garantindo que não vai haver acordos escritos, e apresentou um caderno reivindicativo: aumento geral dos salários e do salário mínimo para 850 euros, reforço do Serviço Nacional de Saúde, 1% para a Cultura, creche gratuita para todas as crianças até aos 3 anos, garantia de proteção da natureza e equilíbrio ecológico.

Jerónimo nervoso fuma à varanda
A tranquilidade da manhã deu lugar a algum nervosismo ao final da tarde, com o líder comunista a fumar na varanda do antigo Hotel Vitória, quartel general do PCP desde 1975 e que na II Guerra Mundial foi base dos espiões nazis.

Avô Jerónimo feliz com o primeiro voto do neto Rui Pedro
Foi um Jerónimo de Sousa feliz, tranquilo e bem-disposto que votou. Fê-lo, como habitualmente, no Grupo Desportivo de Pirescôxe. Mas com uma diferença. "Já tive a primeira alegria, que foi o facto de o meu neto mais velho [Rui Pedro] ir votar pela primeira vez. Um direito que eu não tinha quando tinha a idade dele", referiu o líder comunista. 

CRONOLOGIA DO DIA
10h50
Jerónimo de Sousa chegou a pé ao Grupo Desportivo de Pirescôxe, em Santa Iria da Azoia, Loures. Às 11h02, o eleitor. AD32 depositou o seu voto.

13h00
Almoço em casa, com a família.

17h15
O líder comunista chega ao centro de trabalho, na Av. da Liberdade.

21h55
Declarações de Jerónimo
de Sousa

FRASES DO DIA
- "Em função das opções do ps, a cdu determinará o seu posicionamento"
- "Resultado é inseparável de uma intensa operação sustentada na mentira e difamação"
- "Resultados permitiram resistir à erosão eleitoral"
- "O que hoje se coloca como inadiável é a necessidade de políticas de esquerda que o ps não está em condições de alcançar"
Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP
Ver comentários