Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

João Leão promete proteger rendimentos das famílias

Novo ministro das Finanças sublinhou que o "ênfase da política" que levará a cabo será o de "estabilizar o País e a economia".
Diana Ramos 16 de Junho de 2020 às 08:24
João Leão, o novo ministro das Finanças
João Leão, o novo ministro das Finanças FOTO: Lusa
O novo ministro das Finanças tinha discurso preparado e um pequeno papel na mão para lhe servir de cábula, após a tomada de posse, mas foi o antecessor no cargo que acabou por dominar a cerimónia e as questões colocadas pelos jornalistas.

João Leão sublinhou primeiro o “prazer e honra” de assumir o cargo e servir Portugal na pasta das Finanças, para depois garantir que o “ênfase da política” que levará a cabo será o de “estabilizar o País, a economia, e proteger os rendimentos”. “Só com crescimento económico é que vamos conseguir novamente estabilizar as contas públicas e, obviamente, a médio prazo é isso que se espera de nós, num quadro de responsabilidade”, frisou.

Sobre Mário Centeno, elogiou o “trabalho notável que fez em nome do País” e a sua “enorme capacidade de liderança”, mas foi uma pergunta sobre o futuro do ex-governante que o levou para o tema que haveria por dominar a tomada de posse: o cargo de governador no Banco de Portugal. Leão lá acabou por dizer que “é uma boa hipótese”. E foi mais longe: “Não vejo nenhum inconveniente [na nomeação].”

PERFIL

João Leão
Tem 46 anos e nasceu em Lisboa. É doutorado em Economia pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), licenciado em Economia pela Nova de Lisboa e professor no ISCTE. Dirigiu o Gabinete de Estudos do ministro da Economia, até 2014 e foi assessor de Medina quando este era secretário de Estado da Indústria.

António M. Mendes
O secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Fiscais nasceu em Coimbra, em 1976, e licenciou-se em Direito. Foi chefe do gabinete de Ana Paula Vitorino na Secretaria de Estado dos Transportes, advogado da Geocapital e diretor na Refer. Lidera a Federação do PS/Setúbal e é irmão de Ana Catarina Mendes.

Cláudia Joaquim
A secretária de Estado do Orçamento nasceu em 1975 e é natural de Torres Vedras. É licenciada em Economia, pelo ISEG e foi secretária de Estado da Segurança Social no anterior Executivo, com Vieira da Silva, onde coordenou o novo Código das Mutualistas e lidou de perto com o Montepio. Depois disso, fez uma curta passagem pela Santa Casa como vogal.

João Nuno Mendes
O secretário de Estado das Finanças tem 47 anos, nasceu em Coimbra, mas viveu em Santa Comba Dão até à faculdade. É licenciado em Economia pelo ISEG, foi assessor económico de António Guterres e secretário de Estado de Elisa Ferreira. Esteve no Grupo Amorim e na Galp até ir para a Águas de Portugal.

Miguel Cruz
O secretário de Estado do Tesouro tem 53 anos, é doutorado em Economia pela London Business School, licenciado em Economia e mestre em Gestão, pela Universidade Católica. Até chegar ao Governo era presidente da Parpública. Antes, foi vogal do Conselho Diretivo do IAPMEI, quando Miguel Frasquilho estava na AICEP.
Ver comentários