Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
7

Líder do CDS pede ao Governo que pagamento do IRS seja "tão rápido como transferência para o Novo Banco"

Francisco Rodrigues dos Santos propôs um mecanismo de acerto de contas entre o Estado e os contribuintes.
Lusa 11 de Maio de 2020 às 12:55
Francisco Rodrigues dos Santos
Francisco Rodrigues dos Santos FOTO: António Cotrim
O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, pediu esta segunda-feira ao Governo que agilize o pagamento do reembolso do IRS aos contribuintes e que "seja tão rápido" como foi "a transferir dinheiro para o Novo Banco".

"Há milhões de portugueses que esperam e desesperam, há semanas, que o Governo lhes pague o reembolso do IRS. É por isso, numa altura de crise social, o CDS apela ao primeiro-ministro que seja tão rápido a pagar o que deve às famílias, como foi a transferir dinheiro para o Novo Banco", afirma o líder democrata-cristão num vídeo enviado à comunicação social.

Nessa curta mensagem, Rodrigues dos Santos insiste na proposta do CDS de criação de um mecanismo de acerto de contas, argumentando que, "se o Governo cobra de véspera e paga tarde e a más horas, é inconcebível que os portugueses não possam pagar o que devem ao Estado, como por exemplo o IMI, com aquilo que têm a receber de IRS".

No final da semana passada, o presidente do CDS propôs um mecanismo de acerto de contas entre o Estado e os contribuintes, possibilitando que os valores em dívida pelo Estado possam ser descontados em impostos a pagar pelas empresas e famílias.

"O CDS propõe a criação de um mecanismo de acerto de contas, que permita a qualquer pessoa ou empresa a quem o Estado se atrasa a pagar, poder descontar o valor das faturas vencidas, para pagar os seus impostos e contribuições", afirmou na altura Francisco Rodrigues dos Santos.

Esta ferramenta não teria "custos para as pessoas e as empresas" e seria aplicável "nos casos em que as pessoas e as empresas são credoras do Estado e, ao mesmo tempo, devedoras de algum imposto, contribuição ou taxa", e seria posta em prática através de "uma compensação de créditos". 

Na terça-feira, o Ministério das Finanças informou que, até à data, o fisco já tinha processado 622.765 mil reembolsos de IRS, no valor de 502 milhões de euros, dos quais mais de 328.500 já foram pagos, devendo os restantes chegar à conta dos contribuintes até ao final desta quinzena.

Este ano, o Ministério das Finanças não apontou um prazo médio para a devolução do IRS, até porque devido às medidas de contenção do contágio da covid-19, a maioria dos funcionários da AT passou para o regime de teletrabalho, tendo o ministério anunciado o início do processamento dos reembolsos no dia 21 de abril.

À Lusa, fonte oficial do Ministério das Finanças precisou que a expectativa é que todas as pessoas que já entregaram a sua declaração automática de IRS recebam o seu reembolso antes de terminar esta primeira quinzena de maio.

A declaração anual do IRS relativa aos rendimentos auferidos em 2019 começou a ser entregue em 01 de abril e termina em 30 de junho, tendo o Estado até 31 de agosto como limite para proceder ao pagamento dos reembolsos das pessoas que entregaram a declaração dentro do prazo.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)