Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
1

Luís Montenegro afasta diálogo com o Chega

Ex-líder parlamentar admite convidar o rival Jorge Moreira da Silva, se ganhar as diretas do PSD.
Salomé Pinto 13 de Maio de 2022 às 09:07
A carregar o vídeo ...
Luís Montenegro afasta diálogo com o Chega
Com a máquina da campanha já bem engrenada, Luís Montenegro formalizou esta quinta-feira a candidatura à liderança do PSD, na sede do partido, antecipando-se ao rival Jorge Moreira da Silva. Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional da Madeira, que nunca manifestou apoio público a um candidato, é o mandatário nacional.

O ex-líder parlamentar de Passos Coelho começou por não esclarecer eventuais alianças com o Chega, mas, na sua moção de estratégia, a posicionamento é claro: “Não contem connosco para distrair o PSD com discussões estéreis a propósito de um imaginário diálogo com partidos como o Chega. Fazê-lo é fazer um frete ao PS”.

No documento, Montenegro esclarece que o objetivo é “liderar a alternativa política ao PS, o PSD tem de ser a casa daqueles que votaram PS e se vão desiludindo, ao mesmo tempo que deve acolher aqueles que expressaram o seu voto à nossa direita.” A meta é vencer as Legislativas de 2026, sendo que já vai preparar a corrida às Autárquicas de 2025.

Se vencer as diretas de 28 de maio, Montenegro não afasta entendimentos com o rival Moreira da Silva, no sentido de “unir e agregar o partido”, mas, para já, “não quer particularizar ninguém”.

PORMENORES
Assinaturas
A candidatura foi entregue com 2800 assinaturas (são necessárias 1500), com um orçamento de campanha que ronda os 48 mil euros. O prazo para formalizar termina segunda-feira.

Mandatários distritais
Entre os 18 mandatários distritais está o ex-ministro de Cavaco Silva, Couto dos Santos, por Viana do Castelo, ou António Nogueira Leite, por Aveiro.

IRS jovem a 15%
Na sua moção de estratégia global, Montenegro defende uma taxa máximo de 15% para os jovens até aos 35 anos.
Ver comentários
}