Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
8

Maioria sem confiança em Joacine e André Ventura

Só uma minoria compraria um carro usado à deputada não inscrita ou ao líder do Chega.
João Maltez 26 de Fevereiro de 2020 às 01:30
André Ventura durante a sessão plenária
Joacine Katar Moreira
André Ventura durante a sessão plenária
Joacine Katar Moreira
André Ventura durante a sessão plenária
Joacine Katar Moreira
A quem não compraria um carro usado? Esta é a pergunta comum para aferir que grau de confiança é depositado nos políticos. Num estudo realizado pela Intercampus para o CM, CMTV e ‘Negócios’, há dois nomes, entre nove dirigentes partidários e deputados, que se destacam pela negativa: Joacine Katar Moreira e André Ventura. Já em sentido oposto, evidenciam-se Jerónimo de Sousa e Catarina Martins.

A conflitualidade e o mediatismo que marcaram os últimos meses da parlamentar eleita pelo Livre, agora deputada não inscrita, ajudam a explicar, de algum modo, que 66,6% dos inquiridos na sondagem da Intercampus tenham respondido que não teriam confiança em Joacine Katar Moreira se esta lhes quisesse vender um carro usado.

Ser um novo protagonista político ou recorrer a um discurso extremista ou menos comum são também fatores que ajudam a explicar a decisão dos portugueses no momento em que são convidados a fazer negócio. Nem por acaso, o deputado do Chega, André Ventura, não suscita confiança a 57,7% dos inquiridos.

Enquanto isto, Cotrim Figueiredo, presidente da Iniciativa Liberal, não consegue convencer 52,8% dos entrevistados para o estudo em análise. Já Francisco Rodrigues dos Santos, novo líder do CDS, vê metade do universo da sondagem dar-lhe um ‘não’.

A meio da tabela, o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, suscita dúvidas a 49,8% dos inquiridos. Esse número baixa para os 46,3% quando o eventual vendedor de um carro usado é André Silva, porta-voz do PAN. Quanto ao reeleito presidente do PSD, Rui Rio, não recebe a confiança de 43,5% dos entrevistados, um valor próximo do alcançado por Catarina Martins (43,3%).
Do grupo dos nove dirigentes partidários e deputados incluídos no estudo, Jerónimo de Sousa, secretário-geral do PCP, com quem 41,2% dos inquiridos não negociariam, é o político mais confiável.

Só Costa e Catarina conseguiram obter uma nota positiva
Só o secretário-geral do PS, António Costa, e a coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, obtêm nota positiva (três, numa escala de um a cinco) no momento de avaliação dos portugueses à ação política dos líderes partidários.

Nos resultados apurados pela Intercampus, Rui Rio (2,9), Jerónimo de Sousa (2,8), André Silva (2,7), André Ventura (2,6), Francisco Rodrigues dos Santos (2,6), João Cotrim de Figueiredo (2,5) e Joacine Katar Moreira (1,7) obtêm nota negativa.

SAIBA MAIS
6
de outubro de 2019 foi a data das Legislativas em que Joacine Katar Moreira foi eleita deputada pelo Livre. André Ventura, pelo Chega, e Cotrim Figueiredo, pela Iniciativa Liberal, também foram eleitos deputados para esta legislatura.

Livre decidiu afastamento
A deputada absteve-se de condenar a ocupação da Palestina por Israel e falhou o prazo de entrega de um projeto de lei sobre a nacionalidade. O Livre retirou-lhe a confiança política em janeiro deste ano. Joacine passou a deputada não inscrita.

FICHA TÉCNICA
Objetivo: Sondagem realizada pela INTERCAMPUS para a CMTV/CM e Jornal de Negócios, com o objetivo de conhecer a opinião dos portugueses sobre diversos temas da política nacional, incluindo a intenção de voto em eleições legislativas.

Universo:População portuguesa, com 18 e mais anos de idade, eleitoralmente recenseada, residente em Portugal Continental.

Amostra: A amostra é constituída por 614 entrevistas, com a seguinte distribuição proporcional por Sexo (295 homens e 319 mulheres), por idade (132 entre os 18 e os 34 anos; 226 entre os 35 e os 54 anos; e 256 com mais de 55 anos) e região (232 no Norte, 145 no Centro, 166 em Lisboa, 45 no Alentejo e 26 no Algarve).

Seleção da amostra: A seleção do lar fez-se através da geração aleatória de números de telefone fixo / móvel. No lar a seleção do respondente foi realizada através do método de quotas de género e idade (3 grupos). Foi elaborada uma matriz de quotas por Região (NUTSII), Género e Idade, com base nos dados do Recenseamento Eleitoral da População Portuguesa (31/12/2016) da Direção Geral da Administração Interna (DGAI).

Recolha da Informação: A informação foi recolhida através de entrevista telefónica, em total privacidade, através do sistema CATI. O questionário foi elaborado pela INTERCAMPUS e posteriormente aprovado pelo cliente. A INTERCAMPUS conta com uma equipa de profissionais experimentados que conhecem e respeitam as normas de qualidade da empresa. Estiveram envolvidos 15 entrevistadores, devidamente treinados para o efeito, sob a supervisão dos técnicos responsáveis pelo estudo. Os trabalhos de campo decorreram entre 11 e 17 de fevereiro.

Margem de Erro: O erro máximo de amostragem deste estudo, para um intervalo de confiança de 95%, é de ± 4,0%.

Taxa de Resposta: A taxa de resposta obtida neste estudo foi de: 61%.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)