Barra Cofina

Correio da Manhã

Política

Mamadou Ba evoca morte do homem branco para “evitar morte social do sujeito político negro”

Antigo assessor do Bloco de Esquerda falava numa conferência digital sobre “Racismo e Avanço do Discurso de Ódio no Mundo”.
Alfredo Leite(alfredoleite@cmjornal.pt) 22 de Novembro de 2020 às 21:57
Mamadou Ba
Mamadou Ba FOTO: Direitos Reservados
O luso-senegalês Mamadou Ba evocou, este sábado, que "é preciso matar o homem branco, assassino, colonial e racista" de forma a "evitar a morte social do sujeito político negro". As declarações de Mamadou Ba foram feitas durante a conferência online organizada pelo canal online Pensa Africanamente dedicada ao tema "Racismo e Avanço do Discurso de Ódio no Mundo".

As palavras de Ba foram equívocas, conforme se pode verificar na visualização do vídeo do evento. Não é claro se o antigo assessor do Bloco de Esquerda assumiu aquele pensamento ou se apenas estava a citar (concordando com ele, presume-se), "[Frantz] Fanon", um filósofo francês oriundo da Martinica que se especializou na psicopatologia da colonização.

No encontro digital, que juntou ativistas brasileiros contra o racismo, o também dirigente do SOS Racismo afirmou ainda que "a refutação faz parte da capacidade propositiva, mas o que mais importa para combater o discurso do ódio é propor uma nova narrativa".

Mamadou Pensa Africanamente Racismo Avanço do Discurso de Ódio no Mundo questões sociais
Ver comentários