Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
6

Marcelo Rebelo de Sousa chega hoje ao Panamá para participar nas Jornadas Mundiais da Juventude

Presidente da República disse esperar poder ouvir "da boca do papa Francisco" que as Jornadas Mundiais da Juventude, em 2022, se realizam em Lisboa.
25 de Janeiro de 2019 às 07:43
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
Papa Francisco e Marcelo Rebelo de Sousa
O Presidente da República chega hoje ao Panamá para participar nas XXXIV Jornadas Mundiais da Juventude, tendo na sua agenda encontros com jovens peregrinos portugueses e com o seu homólogo panamiano, Juan Carlos Varela.

Marcelo Rebelo de Sousa estará no Panamá até domingo, a convite do seu homólogo, dia em que o papa anunciará o próximo país a receber as Jornadas Munidas da Juventude (JMJ), existindo a expectativa de este evento ser realizado em Portugal.

Na terça-feira, o Presidente da República disse esperar e desejar poder ouvir "da boca do papa Francisco" no domingo, no Panamá, que as próximas Jornadas Mundiais da Juventude, em 2022, se realizam em Lisboa.

"Aquilo que eu espero, não é só esperar, o que eu desejo é que no domingo seja possível ouvir da boca do santo padre, do papa Francisco, o anúncio de que as próximas jornadas, em junho de 2022, possam vir a ser realizadas em Lisboa, em Portugal", disse o Presidente da República, Marcelo de Sousa.

Marcelo Rebelo de Sousa disse ainda que a sua deslocação ao Panamá vai contemplar um encontro com peregrinos portugueses, e "provavelmente" com o papa Francisco.

Na sexta-feira o presidente fará a via sacra com os jovens, no campo Santa Maria La Antiga, Cinta Costera, e terá um encontro com os jovens peregrinos portugueses.

O programa contempla também que Marcelo Rebelo de Sousa "assista a uma celebração na catedral restaurada por uma empresa portuguesa, e depois esteja no momento crucial que é a celebração de domingo, dia em que o papa dirá qual é a localização das jornadas de junho de 2022".

Relativamente a um encontro com o papa Francisco, Marcelo disse: "Provavelmente, o que haverá é o encontro no momento, ou a propósito, se for esse o caso, de a decisão ser aquela que nós desejamos".

As Jornadas Mundiais da Juventude arrancaram na terça-feira no Panamá e decorrem até dia 27, data em que o papa deverá divulgar se a candidatura portuguesa foi a escolhida para organizar as Jornadas em 2022.

"Não vale a pena estar a antecipar a decisão", referiu Marcelo Rebelo de Sousa, apontando que também se deslocarão ao Panamá o secretário de Estado da Juventude, João Rebelo, e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina.

Esta é a terceira edição internacional das Jornadas presididas pelo papa Francisco, depois de Rio de Janeiro, em 2013, e de Cracóvia, em 2016.

O único papa a visitar o Panamá, até hoje, foi João Paulo II, em março de 1983.

A organização da Jornadas Mundiais da Juventude 2019 contabiliza, no arranque da iniciativa, mais de 100 mil peregrinos de 156 países, acompanhados por 480 bispos e conta também com a participação de 300 portugueses de 12 dioceses e seis congregações e movimentos (Salesianos, Caminho Neocatecumenal, Equipas de Jovens de Nossa Senhora, Juventude Mariana Vicentina, Schoenstatt e Focolares).

A delegação portuguesa inclui também 30 voluntários e seis bispos, nomeadamente Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa, Joaquim Mendes, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família e bispo auxiliar de Lisboa, José Cordeiro, bispo de Bragança-Miranda, Manuel Felício, bispo da Guarda, Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga, e Virgílio Antunes, bispo de Coimbra.
Ver comentários