Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

Militante do Chega ataca autoritarismo do partido de André Ventura

Cristina Silva exigiu ainda a marcação de eleições distritais e concelhias no prazo de 30 dias.
Salomé Pinto 20 de Setembro de 2020 às 09:41
André Ventura
André Ventura FOTO: Direitos Reservados
A militante do Chega/Porto Cristina Silva criticou este sábado a “vertigem autoritária” de alguns dirigentes que pretendem travar eleições distritais e concelhias do partido.

 “O direito ao voto é um direito adquirido que não deve ser posto em causa. Não parece ser esse o pensamento de todos os militantes”, alertou a militante, durante a II Convenção do Chega, que decorre hoje e amanhã em Évora. Cristina Silva exigiu ainda a marcação de eleições distritais e concelhias no prazo de 30 dias.

Na abertura da convenção, o líder do Chega, André Ventura, estabeleceu como metas ficar em segundo lugar nas eleições presidenciais e em terceiro nas legislativas.
Cristina Silva Chega André Ventura Porto política partidos e movimentos política (geral)
Ver comentários