Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
3

Ministro do Ambiente diz que "houve uma melhoria" no segundo dia de greve dos motoristas

Catorze motoristas não cumpriram requisição civil. Onze já foram notificados.
Correio da Manhã 13 de Agosto de 2019 às 19:36
Matos Fernandes, ministro do Ambiente e Transição Energética
Greve dos motoristas
Greve dos motoristas
Matos Fernandes, ministro do Ambiente e Transição Energética
Greve dos motoristas
Greve dos motoristas
Matos Fernandes, ministro do Ambiente e Transição Energética
Greve dos motoristas
Greve dos motoristas

O ministro do Ambiente disse esta terça-feira que o segundo dia de greve dos motoristas decorreu "sem sobressaltos", com os serviços mínimos a serem "genericamente cumpridos" e a requisição civil "cumprida a rigor".

"Com a perturbação natural que uma greve com esta dimensão causa às pessoas e famílias, estando de férias ou a trabalhar, e à economia em geral, o dia de hoje correu sem sobressaltos, com os serviços mínimos genericamente cumpridos e requisição civil cumprida com rigor", disse João Pedro Matos Fernandes, que falava aos jornalistas no Ministério do Ambiente, em Lisboa.

Apesar da melhoria, houve quem não cumprisse com a requisição decretada. Segundo Matos Fernandes, 14 motoristas não cumpriram pelo que foram identificados. 11 já foram notificados e três estão por localizar e notificar. Os motoristas que não cumpriram a requisição alegaram baixa médica. 

O ministro desmentiu ainda as declarações da Antram que afirmavam que existiam falhas no abastecimento de bens essenciais em hospitais. 

Durante este segundo dia de greve "só dez equipas tiveram de atuar", quatro das forças armadas e as restantes da GNR. 

Ainda hoje haverá um terceiro turno, com oito equipas, que vai sair de Sines para repor stocks. De recordar que a região do Algarve é das mais afetadas por esta greve.

Os motoristas de matérias perigosas e de mercadorias cumprem hoje o segundo dia de uma greve por tempo indeterminado, que levou o Governo a decretar a requisição civil, alegando incumprimento dos serviços mínimos.

Portugal está, desde sábado e até às 23h59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público.

A greve que começou na segunda-feira, por tempo indeterminado, foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM), com o objetivo de reivindicar junto da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (Antram) o cumprimento do acordo assinado em maio, que prevê uma progressão salarial.

Ao fim do primeiro dia de paralisação, o Governo decretou a requisição civil, alegando o incumprimento dos serviços mínimos.




Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)