Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
5

Marcelo garante que "tudo será feito" para que informação seja verdadeira

Presidente da República mostrou a sua preocupação com as consequências sociais do Covid-19.
SÁBADO e Lusa 25 de Março de 2020 às 18:57
O Presidente da República disse esta quarta-feira que "tudo será feito" para garantir que a informação transmitida aos portugueses é verdadeira, algo necessário para "destruir rumores" e distinguir os lapsos na comunicação sobre os números da covid-19.   

"Aquilo que posso garantir é que naquilo que depender de mim e de todas as autoridades com as quais estou em contacto permanente [primeiro-ministro, ministra da Saúde e diretora-geral da Saúde], tudo certamente será feito para que aquilo que é transmitido aos portugueses seja verdadeiro", disse aos jornalistas Marcelo Rebelo de Sousa.  

Marcelo Rebelo de Sousa, mostrou, esta quarta-feira, a sua preocupação com as consequências sociais da pandemia de Covid-19, alertando aos grupos mais velhos para permanecerem em casa. Depois de casos de contágio em lares de idosos, o Chefe de Estado reuniu-se com a União das Misericórdias Portuguesas e com a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, a quem deixou elogios pelo trabalho feito diariamente.
"O País precisa muito do setor social. Precisa e vai precisar, por duas razões: primeiro porque os efeitos sociais vão ser mais longos que os da crise da saúde; segundo, porque cobrem todas as gerações", recordou o Chefe de Estado. 

Já sobre a questão em concreto dos casos de novo coronavírus em lares e instituições sociais, Marcelo recordou que "são estruturas que fazem parte dos grupos de risco". "Aquilo que me dizem é que não é possível generalizar o que terá acontecido. Há um esforço enorme que o pessoal está a fazer para controlar a situação", garantiu, sublinhando: ""O risco de qualquer contacto pode significar uma situação como as que foram vividas. Daí a preocupação de ir acompanhando o estado de saúde do pessoal que trabalha nesses lares, o seu enquadramento familiar e com a própria desinfeção dos lares."

"Renovo o apelo àqueles que como eu, têm mais de 70 anos, que mantendo os seus passeios higiénicos, não levem muito longe a tentação dos contatos, porque têm um grau de risco maior que os outros estratos da população", alertou o Presidente da República, alertando para as restrições a contatos sociais como jogos de cartas na rua. 

Mais de 19 mil pessoas morreram em todo o mundo infetadas por covid-19, de acordo com um balanço feito pela Agência France Presse (AFP) a partir de dados oficiais divulgados esta quarta-feira às 11h00.

Foram registados mais de 427.940 casos de infeção em mais de 181 países e territórios desde o início da epidemia.

Em Portugal, o número de mortes associadas ao vírus que provoca a covid-19 subiu para 43 em Portugal, revelou esta quarta-feira a Direção-Geral da Saúde (DGS), num boletim que regista 2.995 casos de infeção.

O País, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00h00 de 19 de março e até às 23h59 de 2 de abril. 


Marcelo Rebelo de Sousa Portugal Covid-19 País questões sociais política governo (sistema)
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)