Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

Orçamento continua marcado pela absessão pelo défice considera a CGTP

Arménio Carlos vinca a "desconsideração enorme perante os trabalhadores da administração pública".
Lusa 16 de Outubro de 2018 às 09:30
Dirigente da CGTP
Arménio Carlos, líder da CGTP
Arménio Carlos, dirigente da CGTP
Dirigente da CGTP
Arménio Carlos, líder da CGTP
Arménio Carlos, dirigente da CGTP
Dirigente da CGTP
Arménio Carlos, líder da CGTP
Arménio Carlos, dirigente da CGTP

A CGTP considera que o Orçamento do Estado (OE) para 2019 continua a ser marcado pela obsessão na redução do défice e por uma desconsideração enorme perante os trabalhadores da administração pública.

"É inadmissível que o Governo insista em manter uma proposta de aumentos salariais muitíssimo insuficiente para trabalhadores que há 10 anos não tem qualquer atualização salarial", disse o secretário-geral da Confederação Geral dos Trabalhadores (CGTP), Arménio Carlos, a propósito da proposta do OE para 2019 que foi esta terça-feira de manhã a ser apresentada pelo ministro das Finanças.

Numa primeira reação à proposta de OE para 2019, Arménio Carlos considerou que esta "não toca nos interesses instalados", ou seja, "não reduz a despesa má", referindo-se às Parcerias Público Privadas (PPP) e aos juros e encargos da dívida.

Ver comentários