Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
2

PS ganha 15 dos 20 círculos eleitorais no continente e ilhas

Votação pinta País de rosa.
João Maltez 7 de Outubro de 2019 às 08:49
António Costa, secretário-geral do PS, votou em Benfica, Lisboa
António Costa
António Costa
António Costa, secretário-geral do PS, votou em Benfica, Lisboa
António Costa
António Costa
António Costa, secretário-geral do PS, votou em Benfica, Lisboa
António Costa
António Costa
Apenas cinco dos 20 círculos eleitorais em que o País se divide – contando com Portugal Continental e regiões autónomas – permaneceram nas mãos do PSD após a noite eleitoral de ontem: Bragança, Vila Real, Viseu, Leiria e Madeira. Em todos os restantes distritos, a cor do mapa político passou a ser o cor-de-rosa do PS.

Há quatro anos, os dois partidos dividiram eleitoralmente o País ao meio, com o Norte a ficar com as cores do PSD e o Sul a pintar-se com a tonalidade dos socialistas.

Uma leitura mais fina mostra ainda que os resultados negativos do partido liderado por Rui Rio lhe permitiram manter o chamado "cavaquistão" – o distrito de Viseu, mas conseguindo o mesmo número de deputados (quatro) do PS de António Costa.

Destacam-se ainda três círculos eleitorais de onde o PSD desapareceu: Beja, Évora e Portalegre, ou seja, todo o Alentejo. Em qualquer dos distritos venceram os socialistas, enquanto a CDU, apesar dos maus resultados a nível nacional, conseguiu manter um representante por Beja e por Évora.

LEGISLATIVAS 2015
Portugal dividido
O País ficou dividido ao meio. O Norte rendeu-se à coligação laranja e o Sul foi reconquistado pelo Partido Socialista.

PSD/CDS vence
Coligação ganha em 12 distritos, mas só em Viseu teve mais de 50 por cento.

Estreia do PAN
PAN ganha mais de 75 mil votos. Vale lugar no Parlamento.

Mapa de vitórias por concelho
Lisboa e Porto são PS
PS vence nos distritos de Lisboa e do Porto. Em 2015 tinha ficado atrás da coligação PSD/CDS-PP.

PSD falha no Alentejo
O PSD falha a eleição de qualquer deputado pelos três círculos do Alentejo.

PS vence Coimbra
O PS torna-se o maior partido do distrito de Coimbra, com cinco deputados. CDS fica sem representação.

Vitória histórica
No círculo eleitoral mais pequeno do País, Portalegre, o PS ganhou os dois mandatos possíveis.

PSD ganha Madeira
O PSD ganha na Região Autónoma da Madeira, com 37,15% e três deputados. O PS tem o mesmo número.

Açores socialista
O PS vence na Região Autónoma dos Açores, com 40,06% dos votos e 3 deputados.

Algarve é do PS
O PS ganha em todos os concelhos do Algarve. Elege 5 deputados, PSD 3 e o BE 1.

POSITIVO
- Não obteve a maioria absoluta, mas foi o único dos partidos da geringonça a sair capitalizado após quatro anos de governação.

Tem na mão vários trunfos e vários partidos, o que dará margem ao PS para negociar mais livremente na Assembleia.-  

- Em Beja e em Portalegre, os socialistas conseguiram ‘roubar’ os deputados ao PSD. Retiraram os sociais-democratas da AR.

NEGATIVO
- O episódio explosivo de Costa na Baixa de Lisboa com o idoso que o abordou marcou negativamente o fecho da campanha do PS.

- As dificuldades do líder do PS em campanha foram notórias. Nos primeiros dias evitou o contacto de rua e perguntas dos jornalistas.

- Foi notório o pouco à vontade em lidar com o caso Tancos. Dentro do PS houve vozes a falar de uma "conspiração" do Ministério Público.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)