Barra Cofina

Correio da Manhã

Política
4

"Temos que ganhar a liberdade em abril": Marcelo anuncia tendência lenta mas positiva da pandemia

Presidente da República falava à saída da reunião com especialistas, onde estiveram também presentes os vários partidos.
Correio da Manhã 7 de Abril de 2020 às 14:16
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa FOTO: Lusa
À saída da reunião desta terça-feira com especialistas, que juntou partidos e membros dos órgãos de soberania, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que "temos que ganhar a liberdade em abril".

Marcelo Rebelo de Sousa falava aos jornalistas no final da terceira reunião técnica sobre a "Situação epidemiológica da covid-19 em Portugal".

Questionado se das suas palavras se pode depreender que, por vontade dos técnicos, não haverá abertura das escolas neste mês de abril, o chefe de Estado respondeu: "Isso pode depreender obviamente. Não haverá. É o senhor primeiro-ministro que o dirá dia 9 de abril, mas daquilo que disseram os especialistas é ganhar em abril o mês de maio, portanto, é manter este esforço em abril".

Numa alusão ao 25 de Abril de 1974, o Presidente da República defendeu que no atual contexto também é preciso "em abril ganhar a liberdade, que é objetivo de todos os portugueses: numa democracia o máximo de liberdade na sua atuação no dia a dia".

Marcelo reforçou o pedido feito aos portugueses sobre o esforço feito até ao momento para "se puder virar uma página no final do mês de abril".

"Há uma tendência positiva. Não é um dia, não são dois dias, não são três. Há uma tendência positiva. Lenta, mas positiva", começou por dizer o Presidente da República, que reforçou a importância das próximas semanas para o combate à covid-19.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, desta reunião sai "uma boa notícia" de que "o processo em curso está a conhecer passos positivos" na evolução do número diário de casos, o que indica que "este esforço dos portugueses está a dar resultado".

A reunião, que decorreu no Infarmed, serviu para analisar prós e contras das questões apresentadas por partidos e órgãos de soberania sobre a pandemia de coronavírus. "Daquilo que disseram os especialistas, a opção a tomar é ganhar em abril o mês de maio", revelou Marcelo, reforçando a dedicação cívica dos portugueses durante o Estado de Emergência. "Se os portugueses forem capazes de manter esta dedicação cívica durante o mês de abril, isso facilitará ver a 'no mês de maio", concluiu.

Esta foi a terceira reunião alargada de apresentação técnica da situação da covid-19 em Portugal realizada no Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento, em Lisboa, com a participação de Presidente da República, presidente da Assembleia da República, primeiro-ministro, líderes partidários, sindicais e patronais.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 1,3 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 75 mil.

Em Portugal, registaram-se 345 mortes e 12.442 casos de infeção confirmados, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)