Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Derrocadas na EN225 põem condutores em perigo em Castro Daire

Chuva provocou desabamentos para via com o piso estragado e a precisar de obras.
Luís Oliveira 27 de Abril de 2019 às 09:33
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
Derrocadas na EN225  põem utentes em perigo
O problema já não é novo mas piora cada vez que chove com mais intensidade. A derrocada mais recente na Estrada Nacional 225, via que liga Castro Daire (distrito de Viseu) a Arouca (distrito de Aveiro) aconteceu na manhã de quinta-feira e só não provocou uma tragédia porque na altura em que aconteceu não passava nenhum veículo na via, caso contrário teria sido ‘engolido’ por toneladas de pedras e terra.

"Por sorte aconteceu num dia de feriado com pouco trânsito. Agora imagine-se que na altura passava um autocarro com passageiros. Caía pela ribanceira", refere Paulo Almeida, presidente da Câmara Municipal de Castro Daire, que, apreensivo, deixa um alerta: "Esta estrada precisa urgentemente de uma intervenção de fundo sob pena de, a curto prazo, ali poder acontecer uma grande tragédia. Alguém tem de me ouvir".

Apesar dos apelos constantes do autarca junto do governo e também na empresa Infraestruturas de Portugal, a verdade é que "ninguém faz nada".

"Já entregámos uma petição com 4700 assinaturas na Assembleia da República a que juntamos um relatório elaborado por várias entidades em que é descrito o estado miserável em que está a estrada: além das derrocadas constantes, o piso está degradado e em muitos locais abateu", reforça o autarca.

A derrocada de quinta-feira atirou para a via toneladas de terra e pedra, ocupando quase a totalidade da faixa de rodagem. A autarquia já procedeu à limpeza da estrada mas Paulo Almeida garante que "os taludes continuam instáveis", temendo "a ocorrência de novas derrocadas nos próximos dias" naquela zona.
Ver comentários