Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Erro grosseiro causa desabamento no túnel do metro em Lisboa

Tecto desabou sobre carruagens do metro. Já foi instaurado um inquérito.
Rogério Chambel 1 de Outubro de 2020 às 08:23
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
É bem visível o buraco à superfície, no local onde ocorreu o desabamento. Trabalhos de betonagem visam  repor condições de segurança para a normal circulação
Erro grosseiro" numa obra da autarquia. Foi desta forma que o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, classificou esta quarta-feira o desabamento que ocorreu terça-feira no túnel do metro na praça de Espanha, que provocou quatro feridos ligeiros, causou a interrupção da Linha Azul, entre o Marquês de Pombal e as Laranjeiras, e originou filas para os autocarros. A circulação deve ser reposta amanhã.

"Os túneis estão seguros e sem nenhum risco. Não há nenhum problema estrutural nos túneis do metro", garantiu Fernando Medina, explicando que o desabamento ocorreu na sequência de "uma perfuração indevida, na vertical do túnel do metro, que não devia ter acontecido". Na altura do acidente (14h30) estavam cerca de 300 pessoas na composição que passava no local.

Entretanto, já foi instaurado um inquérito liderado por um especialista indicado pela Ordem dos Engenheiros, que deverá apurar "de quem é a responsabilidade do erro", informou Fernando Medina, adiantando ainda que o acidente não vai atrasar a conclusão das obras de requalificação na praça de Espanha.
Ver comentários