Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Estrada Nacional condicionada há dois anos na Venda do Pinheiro

Circulação faz-se de forma alternada desde há dois anos, quando ocorreu deslizamento de terras.
Rogério Chambel e Lusa 12 de Setembro de 2020 às 09:55
Circulação alternada na sequência de um deslizamento de terras
Circulação alternada na sequência de um deslizamento de terras FOTO: Sérgio Lemos
A Estrada Nacional (EN) 116, que serve de acesso à Autoestrada 8 (Lisboa-Leiria) está há dois anos com circulação alternada ao quilómetro 17,2, na Venda do Pinheiro, em Mafra, na sequência de um deslizamento de terras, com abatimentos sucessivos. Os utentes desesperam e exigem a realização de obras.

Por receio de que a estrada possa colapsar no inverno e causar algum acidente, como aconteceu em Borba, Hélio Filipe, um dos muitos utentes desta via, tem alertado a Infraestruturas de Portugal (IP) e a Câmara de Mafra, até porque a estrada é contígua a um “enorme precipício”.

A autarquia conhece o problema e “tem sinalizado” a IP para uma situação que o presidente da câmara, Hélder Sousa Silva, em declarações à Lusa, considerou ser “uma vergonha”, porque “já lá vão três anos e não há obras”. Por isso, pediu uma “intervenção urgente” e criticou a “inação da IP”.

A via divide os concelhos de Loures e de Mafra, tendo o deslizamento ocorrido em Loures. “Se o deslizamento fosse do lado de Mafra, a câmara já lá tinha ido fazer a obra, porque é altamente perigoso e a estabilidade do troço que ainda está circulável não deve ser muita”, diz o presidente da Câmara de Mafra.

Questionada pela Lusa, a IP esclareceu que, em novembro de 2019, foi lançado um concurso público para obras de estabilização no local, mas “não foram apresentadas propostas válidas, pelo que não foi possível adjudicar a empreitada”.A IP vai lançar novo concurso público, que “deverá ocorrer até ao final do ano”. Enquanto não se realizar a intervenção, a IP vai manter a sinalização para haver circulação alternada.
Ver comentários