Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Lisboa aperta o cerco a carros em segunda fila

Paragem em segunda fila provoca limitação da capacidade da via na ordem dos 50%.
João Saramago 9 de Maio de 2018 às 08:38
Artérias do centro da capital apresentam os maiores problemas de congestionamento em termos de estacionamento
Artérias do centro da capital apresentam os maiores problemas de congestionamento em termos de estacionamento FOTO: Pedro Simões
Contra o estacionamento em segunda fila, a Câmara de Lisboa arrancou esta terça-feira com uma campanha de sensibilização, divulgou o vereador da Mobilidade e Segurança da autarquia, Miguel Gaspar, apontando que será também reforçada a fiscalização.

A Câmara de Lisboa tem monitorizado "o fenómeno das segundas filas", pelo que o responsável apontou uma poupança de "mais de 60 horas de elétricos da Carris que não estiveram parados atrás do trânsito", no último mês, devido a carros mal estacionados.

"Como é evidente, vamos ter mais cuidado na fiscalização de vias onde temos problemas de congestionamento", referiu Miguel Gaspar. Para tal, será reforçada a fiscalização dos lugares de cargas e descargas e dos carros estacionados em segunda fila, por parte da Polícia Municipal e da EMEL.

"Temos de fazer um grande esforço para que não haja segundas filas em Lisboa", disse o vereador, explicando que "de cada vez que pára um carro numa via perde-se 40% a 50% da capacidade" dessa rua.

Entre as artérias mais preocupantes da capital figuram a rua do Comércio, praça do Comércio, Rossio, avenida 24 de Julho, avenida 5 de Outubro, avenida Duque de Ávila, rua Braancamp, rua Castilho, avenida Pedro Álvares Cabral, rua Tomás Ribeiro, largo Camões, Príncipe Real, Cais do Sodré, avenida Infante D. Henrique, avenida Defensores de Chaves, Arco do Cego, avenida de Roma, avenida João XXI, avenida da Igreja, rua de Arroios, rua dos Bacalhoeiros, rua de São Paulo, avenida Almirante Reis, avenida de Berlim e a avenida Casal Ribeiro.
Ver comentários