Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Lousado admite pagar para manter os Correios

Junta de freguesia critica a decisão dos CTT e propõe assegurar o serviço postal em Vila Nova de Famalicão.
Fátima Vilaça 6 de Dezembro de 2018 às 11:23
Posto dos Correios deverá continuar em funcionamento, mas nas instalações da junta de freguesia
CTT
Posto dos Correios deverá continuar em funcionamento, mas nas instalações da junta de freguesia
CTT
Posto dos Correios deverá continuar em funcionamento, mas nas instalações da junta de freguesia
CTT
A Assembleia de Freguesia de Lousado, Vila Nova de Famalicão, decide esta quinta-feira o futuro do posto de Correios da freguesia, que a administração dos CTT decidiu encerrar no final deste ano.

O autarca Jorge Ferreira já garantiu que a freguesia vai "continuar a ter um serviço que tanta falta faz". Já Paulo Cunha, presidente da Câmara de Famalicão, assegura que também fará tudo o que estiver ao seu alcance.

Uma das hipóteses que está em cima da mesa - e que pode ser esta quinta-feira aprovada - é ser a junta a assegurar o serviço postal nas suas instalações e com funcionários próprios. Paulo Cunha mostra-se igualmente empenhado em manter o posto a funcionar e promete apoiar a autarquia local.

"A câmara admite fazer um investimento para dotar a freguesia de condições infraestruturais para receber esse serviço na sede da junta", referiu o edil. Critica, entretanto, aquilo a que chamou a "tendência" dos CTT de transferirem para as autarquias a gestão dos postos de Correios.

Paulo Cunha pediu mesmo a intervenção do Estado para aferir se a empresa está a cumprir o contrato de prestação daquele serviço público.

Só no concelho de Vila Nova de Famalicão, os CTT anunciaram, nos últimos meses, o encerramento dos postos de Nine, Delães e Riba de Ave.

Em todos os casos, as freguesias conseguiram manter o serviço postal ao dispor das populações, mas à custa do "esforço financeiro" da câmara e das juntas de freguesia.

"Isto não pode ser uma tendência", sublinhou Paulo Cunha. O autarca admite, no entanto, que, "em última instância", essa será a solução também para Lousado, "com grande esforço do orçamento municipal e com uma enorme dedicação da junta de freguesia".
Ver comentários