Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Marcha pelo rio Sorraia junta 300 pessoas

Praga de jacintos de água já se arrasta há vários anos. Alerta para praga, assoreamento e poluição no rio.
Elsa Custódio e Rogério Chambel 16 de Setembro de 2019 às 08:12
Marcha pelo rio Sorraia junta 300 pessoas
Marcha pelo rio Sorraia junta 300 pessoas FOTO: João Dinis
Cerca de 300 pessoas participaram este domingo numa caminhada em defesa do rio Sorraia, que tem sido alvo de uma praga de jacintos-de-água. Entre Coruche e Benavente, o rio está transformado num imenso manto verde.

Participantes de todas as idades percorreram um troço de cerca de cinco quilómetros, numa iniciativa que foi organizada pelo movimento de cidadãos Juntos pelo Sorraia.

"O abandono de uma fiscalização séria deste rio conduziu não apenas à proliferação de uma praga de jacintos-de-água sem precedentes, como ao assoreamento de algumas parcelas do rio, entre diversos outros problemas diretamente causados por ação do homem ao longo de décadas", sustenta o movimento Juntos pelo Sorraia. José Pastoria, um dos mentores do movimento, diz que esta foi a primeira ação de várias que estão previstas em defesa do Sorraia.

O prolongar desta situação tem deixado a população indignada e prejudicado a atividade de pescadores da região. Apesar de os trabalhos de remoção dos jacintos-de-água do rio Sorraia terem começado no passado mês de agosto, a rapidez de reprodução desta planta - um só exemplar consegue produzir 50 a 70 novos exemplares em apenas um mês - pode tornar os trabalhos mais demorados.

José Pastoria demonstra preocupação com a permanência desta praga no rio Sorraia e com as consequências que terá no futuro. "O que nos move são os nossos filhos e aqueles que vêm depois de nós, porque estamos numa era em que a água começa a escassear. Devemos olhar para a que temos como uma bênção", conclui.
Ver comentários